De olho no mercado

Casa da Moeda: Como funciona a nossa fábrica de dinheiro?

Publicado em 24/09/2021

O surgimento de alternativas digitais ao “dinheiro vivo” certamente facilitou a vida de muita gente, mas isso não significa que as notas e moedas caíram em desuso, pelo contrário! O dinheiro físico ainda é o meio de pagamento mais usado pelos brasileiros (seguido pelo Pix).

Mas você já parou para pensar de onde vem o seu rico dinheirinho? Entenda como funciona a Casa da Moeda brasileira e o seu papel para a economia.

História da Casa da Moeda

De acordo com o site oficial, a Casa da Moeda foi fundada em 1694, pelos governantes portugueses, com o objetivo de produzir moedas metálicas com o ouro que era extraído da mineração.

Hoje, ela é responsável por imprimir todo o dinheiro metálico e não metálico que circula em nossa economia, entre outras atribuições como impressão de passaportes para membros do governo, títulos da dívida pública, selos estaduais e federais, certidões e outros documentos que necessitem da mesma tecnologia.

Além de cuidar da impressão de cédulas e documentos, a Casa da Moeda cumpre uma importante função de controle fiscal, através de um sistema robusto que permite o rastreamento dos seguintes produtos:

  • Bebidas;
  • Cigarro;
  • Leite e derivados;
  • Enlatados em geral;
  • Medicamentos;
  • Produtos de perfumaria, embelezamento e higiene;
  • Placas de Veículos;
  • Roupas;
  • Eletrônicos.

Onde fica a Casa da Moeda?

Quando foi criada, a Casa da Moeda era sediada em Salvador. Depois disso, o complexo ainda passou pelas cidades de Rio de Janeiro e Recife, até se fixar em Santa Cruz, distrito industrial localizado na zona oeste do Rio de Janeiro.

O parque industrial atual conta com 3 fábricas divididas por tipo de produto:

  • Uma gráfica onde são impressos os passaportes, selos e outros documentos oficiais;
  • A fábrica onde é feito o dinheiro metalizado;
  • E a fábrica onde são impressas as cédulas.

Todas elas usam alta tecnologia reconhecida internacionalmente. As cédulas, por exemplo, são impressas em papéis com marca d’água e fio magnético, e contam com uma técnica de impressão calcográfica, que confere a impressão em alto relevo para as notas, que é muito útil para diferenciar cédulas verdadeiras das falsas.

Como funciona a Casa da Moeda e qual seu papel na economia?

A Casa da Moeda é o local onde é fabricado todo o dinheiro físico que circula no país, porém ela não tem autonomia para definir quando e quanto dinheiro deve ser fabricado. Essa determinação fica por conta do Banco Central, de acordo com a política monetária do país ou da necessidade de substituir cédulas que estejam danificadas.

O que leva muita gente a se questionar: por que diante de uma crise econômica e falta de recursos, o Bacen não pode simplesmente pedir para a Casa da Moeda imprimir mais dinheiro?

Parece legal na teoria, mas na prática não funciona bem assim!

A emissão de papel moeda deve ser sempre compatível com o crescimento da produção e ocorrer organicamente. Caso contrário, teremos mais dinheiro circulando na economia acompanhado de mais demanda, mas sem ter tido aumento na quantidade de bens produzidos. No fim das contas, isso só levaria a escassez de produtos, aumento dos preços e desvalorização da moeda. Sem contar a perda de credibilidade com investidores, por causa do aumento do risco fiscal, e a fuga de capital estrangeiro.

Isso não significa que não existe nada que o Banco Central possa fazer para controlar a economia. Um dos mecanismos mais conhecidos é a taxa Selic, que pode ser ajustada para cima ou para baixo para controlar a inflação, estimulando ou desestimulando o consumo, dependendo do cenário. Entenda mais essa dinâmica aqui.

Teve alguma curiosidade sobre a Casa da Moeda que você ficou sabendo por causa desse texto? Deixe aqui nos comentários!

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe