Para simplificar a vida Inter Bank

Como funciona o cartão de crédito: tudo o que você precisa saber

Publicado em 08/07/2021

O cartão de crédito é uma “mão na roda” para o consumidor, pois permite que você faça compras e pagamentos sem precisar ter o dinheiro na hora. Não atoa ele é um dos meios de pagamento preferidos dos brasileiros.

Mas como funciona o cartão de crédito? Quem pode ter um? E será que ele é seguro?

Continue a leitura para descobrir.

O que é o cartão de crédito?

O cartão de crédito é ideal para situações nas quais você quer fazer uma compra, mas não dispõe do dinheiro na conta para comprar à vista.

Ele funciona como um empréstimo: a instituição emissora concede um limite, baseado no seu histórico de crédito, e você pode fazer compras parceladas usando esse valor, para pegar só depois.

>> Veja como conseguir crédito no Inter.

Quais informações o cartão de crédito contém?

  • Um número único de identificação que pode estar na frente ou no verso do cartão;
  • Data de validade – data limite até a qual você pode usar o meio de pagamento;
  • Nome do titular do cartão;
  • CVV – um código segurança composto por 3 números usado para validar transações online, que fica no verso do cartão;
  • A logo do emissor e a bandeira do cartão;
  • Um chip que armazena as informações para pagamento.

Quem pode ter um cartão de crédito?

Por ser um tipo de empréstimo, o cartão de crédito é restrito para clientes maiores de 18 anos. Mas qualquer pessoa maior de idade, e que não esteja negativada pelos serviços de proteção ao crédito, poderá solicitar um.

Como funciona o limite do cartão?

Cada cliente terá um valor máximo que poderá gastar. Esse valor é conhecido como limite e é definido pela instituição emissora do cartão.

Se a pessoa decide fazer uma compra parcelada, a somatória de todas as parcelas deve caber dentro desse limite, e o valor total só será reestabelecido quando o cliente quitar todas as parcelas em aberto.

O limite concedido leva em consideração alguns fatores como:

  • Histórico de crédito;
  • Renda do cliente.

Em alguns casos pode ser avaliado também o relacionamento que a pessoa tem com a instituição emissora, há quanto tempo ela tem a conta, etc. Lembrando que é possível fazer um cartão de crédito não vinculado à bancos como cartões de lojas de departamento e supermercados, por exemplo.

Isso significa que o seu limite será o mesmo para sempre? Claro que não!

Com o tempo, o cliente poderá solicitar aumento desse limite. Aí, cabe ao emissor avaliar o pedido para definir se ele concede ou não mais crédito.

Pelo aplicativo do Inter dá para fazer isso em Cartões > clicando sobre o cartão desejado, e depois em > Aumentar limite. Mas antes disso, é importante que seus dados estejam sempre atualizados e que você mantenha seus pagamentos em dia.

O que você precisa saber sobre a fatura do cartão?

Todos os meses você receberá uma fatura com um descritivo das despesas feitas com seu cartão de crédito no ciclo anterior.

Nela, estarão informados a razão social do estabelecimento, o valor da compra, a quantidade de parcelas, o valor total e valor mínimo para pagamento, a data de vencimento e os dados da cobrança. Essa fatura é fechada poucos dias antes da data de vencimento, geralmente de 5 a 10 dias antes, e enviada para seu e-mail ou endereço.

A data de vencimento é escolhida pelo cliente na hora de fazer o cartão, mas é importante que, uma vez definida, você fique atento para fazer o pagamento dentro do prazo e, assim, não se complicar com o crédito rotativo ou ficar negativado.

Falaremos sobre o crédito rotativo mais adiante no texto.

Melhor dia para a compra

Como nós já explicamos, os gastos feitos com o cartão são pagos só na data de vencimento da fatura. Ou seja, é possível fazer uma compra agora e pagar a compra só daqui a 40 dias, a depender da data de fechamento e de vencimento da fatura.

Esse primeiro dia do ciclo da fatura ficou popularmente conhecido como o melhor dia para compra. Por exemplo, os gastos feitos na semana que antecede o vencimento da fatura só são cobrados no mês seguinte.

Como usar o cartão de crédito?

O cartão é um meio de pagamento amplamente aceito, dos estabelecimentos físicos às lojas online, passando por serviços de assinatura.

Presencialmente, você pode fazer o pagamento de três formas:

  • Inserindo o cartão na maquininha e digitando sua senha para autenticar a transação;
  • Pagando por aproximação;
  • Ou ainda, cadastrar seu cartão em carteiras digitais como Google Pay, Apple Pay e Samsung Pay e fazer o pagamento aproximando seu celular.

Já nas compras online você também pode pagar usando as carteiras digitais ou usar o cartão virtual.

Seja qual for a tecnologia utilizada, o fluxo de pagamento será o mesmo: O estabelecimento recebe o pedido de compra, por meio de uma adquirente ou das populares maquininhas, envia as informações para a bandeira do cartão que processa a compra, e transmite os dados para o emissor que pode ser um banco ou uma loja.

Parece demorado, mas esse processo todo acontece em questão de segundos!

Havendo crédito disponível para pagamento a compra é aprovada e aparecerá na sua fatura seguinte. Caso o limite não seja suficiente, a solicitação será recusada, e o cliente precisará repetir o processo de compra com outro meio de pagamento.

Como funcionam os juros do cartão?

O cartão de crédito só cobrará juros se você atrasar o pagamento da fatura, mas a gente sabe que imprevistos acontecem, por isso, vamos te explicar como funciona a cobrança por atraso.

Os juros do cartão de crédito, também conhecido como crédito rotativo, incidem sobre o valor da fatura que não foi paga até o vencimento. Então, supondo que você tenha uma fatura de R$500, mas não conseguiu quitar nada da dívida naquele mês, o cálculo vai ser:

- R$500 do valor original da fatura + taxa de juros rotativo (que pode ser entre 12.9% e 16.9%, dependendo da instituição) + 2% de multa + 1% de mora por mês de atraso, cobrado proporcionalmente a quantidade de dias após o vencimento.

E se você deixar a fatura sem pagar por mais de um mês esse valor ainda vai se acumular com a cobrança das futuras parcelas.

Por esse motivo, dizemos que a dívida do cartão de crédito tem um grande potencial para virar uma bola de neve. E é tudo o que a gente não quer, certo?

Uma solução para não pagar a fatura em atraso é fazer o pagamento mínimo. O valor mínimo é a porcentagem da fatura que o cliente deve pagar para manter aquela linha de crédito ativa e é composto por:

  • 15% das compras mensais (esse valor pode variar conforme a instituição);
  • 15% das compras que ficaram em aberto no mês anterior;
  • O total de juros, multas e IOF acumulados;
  • Futuras parcelas.

É importante ter em mente que a diferença entre o valor mínimo e o valor total ainda entrará no crédito rotativo.

Como solicitar um cartão de crédito?

Cada banco terá seus critérios para solicitação do cartão de crédito. Por isso, vamos focar em como é feito o processo aqui no Inter.

O cartão que você usará é o mesmo que você recebeu ao abrir sua conta.

Para ativar a função crédito acesse o aplicativo e clique em: cartões > habilitar a função crédito > ajustar o limite.

Se você já tiver um limite pré-aprovado, poderá ajustar a barra do limite dentro do valor concedido, seja para mais ou para menos.

Caso não tenha limite aprovado com a gente, poderá solicitar uma nova análise de crédito ou usar recursos como o CDB Mais Limite de Crédito do Inter. Veja o passo a passo aqui.

Vantagens de ter um cartão de crédito Inter

O Inter disponibiliza quatro tipos de cartão, de acordo com cada perfil de relacionamento:

  • O Golden, que é o nosso laranjinha, é voltado para os clientes Digital;
  • O Platinum, é o cartão concedido para os clientes One;
  • O Black, para clientes Black (clientes que investem a partir de R$250 mil com o Inter);
  • E o cartão Win para clientes Win (clientes que investem R$ 1 milhão ou mais).

Todos os cartões são da bandeira Mastercard, são equipados com a tecnologia contactless, que permite pagamento por aproximação, e são aceitos para compras nacionais e internacionais.

Mas a principal vantagem guardamos para o final: no Inter, todos os clientes têm direito a cashback nas compras feitas com o nosso cartão.

Os valores são depositados na conta corrente, até 5 dias depois do pagamento da fatura, na seguinte proporção: 0,25% (Gold), 0,50% (Platinum), 1% (Black) e 1,5% (Win).

Para ter direito ao benefício é só deixar a fatura em débito automático.

Cartão de crédito é seguro?

Até aqui deu para perceber que o cartão de crédito é um meio de pagamento prático e conveniente, mas será que ele é seguro?

E a resposta é SIM!

A tecnologia utilizada no cartão permite que ele armazene seus dados de pagamento, mas as transações presenciais ainda precisam ser autenticadas com senhas ou por ferramentas de reconhecimento de dispositivos móveis. E mesmo os cartões contactless tem um limite diário para transações, sem contar que você pode desativar a função ou bloquear totalmente o cartão pelo aplicativo, em caso de perda, furto ou roubo.

Outro ponto crucial para a segurança dos cartões é que você consegue acompanhar as movimentações pelo extrato. Clientes Inter também podem ativar notificações para receberem mensagem sempre que o cartão for utilizado, e caso não reconheçam a compra, basta entrarem em contato com a gente.

Mas o fato de a tecnologia ser segura não significa que você não deve tomar alguns cuidados para proteger seu cartão, como:

  • Usar senhas seguras evitando uso de datas de nascimento ou sequências numéricas;
  • Ativar dispositivos de segurança e de dupla verificação do seu aparelho celular;
  • Acompanhar todas as movimentações e fazer o controle financeiro pelo aplicativo do cartão;
  • Não fotografar o cartão ou compartilhar as informações dele com terceiros.

Outra forma de usar bem o cartão é reservar menos de 30% do seu salário para gastos com ele, pois assim você não se complica financeiramente. A gente espera que esse artigo tenha te ajudado a entender como funciona o cartão de crédito.

Ficou com alguma dúvida? Acesse nossa página de cartões.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe