Para simplificar a vida Inter Bank

“Crédito ou débito?”: entenda as diferenças entre os meios de pagamento

Publicado em 28/09/2021

Toda vez que vamos pagar uma compra com o cartão surge a pergunta: “é no crédito ou no débito?”.

Pode parecer uma pergunta simples de responder, afinal o procedimento é o mesmo (inserir ou aproximar o cartão da maquininha, digitar a senha), mas as duas modalidades de pagamento são bem diferentes.

Nesse post a gente explica tudo sobre o funcionamento do cartão de débito, as diferenças entre débito x crédito e dicas para equilibrar as duas opções.

Como funciona o cartão de débito?

O cartão de débito é um meio de pagamento ligado à sua conta poupança ou corrente. Isso significa que o valor da compra será debitado do seu saldo, quase instantaneamente, por meio de uma comunicação feita entre a empresa adquirente (maquininha de cartão) e sua instituição financeira.

Diferenças entre cartão de débito x crédito

A principal diferença entre as duas modalidades é a forma como o pagamento é feito. Quem leu nosso artigo sobre o cartão de crédito, sabe que ele funciona como um empréstimo, no qual você tem um limite pré-definido para gastar e pode fazer o pagamento em até 40 dias.

Já no débito, a quantia é debitada em sua conta corrente na hora, correndo o risco de a compra não ser aprovada caso não haja saldo disponível. Dependendo da instituição financeira o cliente ainda pode entrar no cheque especial, modalidade de crédito emergencial na qual o banco “empresta” dinheiro para compor o saldo, mas que, em contrapartida, têm um dos juros mais altos do mercado.

É exatamente por causa da cobrança imediata que o cartão de débito só pode ser usado para pagamentos à vista, diferentemente do cartão de crédito que pode ser usado tanto para compras à vista como para compras a prazo.

Outra diferença entre crédito e débito é que o cartão de débito é entregue ao cliente assim que a conta é aberta, pois ele será necessário para as movimentações financeiras como saques e pagamentos. Já o cartão de crédito precisa ser solicitado.

No Inter, é oferecido um único cartão para os dois serviços, e a função crédito pode ser ativada pelo aplicativo no menu Cartões.

Cuidados ao usar o cartão de débito

Muita gente pensa que o cartão de crédito é mais perigoso para as finanças, pois, teoricamente, você está gastando um dinheiro que “não tem”, mas o cartão de débito também representa riscos para a sua vida financeira quando mal utilizado.

A seguir, listamos alguns cuidados fundamentais para usar a função débito.

Acompanhe seu extrato com regularidade

Se você chegou até aqui já entendeu que ter saldo em conta é mandatório para que as compras no débito sejam aprovadas, o que vai demandar que você tenha um controle rígido de suas finanças.

Pode acontecer de você esquecer que tinha um débito automático cadastrado ou daquele Pix que fez para um amigo, e por uma diferença pequena de valor ter sua compra reprovada.

Para evitar a reprovação (e por que não, o constrangimento), crie o hábito de acompanhar todas as movimentações da sua conta: os pagamentos que entram, o dinheiro que sai e os lançamentos futuros como contas programadas, em geral.

Evite o cheque especial

No cheque especial os clientes têm um limite de crédito pré-aprovado, e, cada vez que a conta fica sem saldo esse limite é acionado para compor o valor de uma compra. Por ser uma modalidade emergencial de crédito, conta com uma taxa de juros diária, podendo chegar a 150% ao ano.

Muitas instituições financeiras oferecem o serviço no pacote de contratação da conta corrente. Por causa disso, as pessoas entram no cheque especial sem nem perceber ou desconhecem que é preciso desativá-lo. Aqui no Inter o serviço não é oferecido.

Ative as notificações de uso

Via de regra, não é simples fraudar um cartão de débito, pois eles quase não são aceitos para compras online. Mesmo assim, existem situações em que o cartão de débito pode ser usado sem seu consentimento, como compras por aproximação.

Sendo assim, as notificações podem ser úteis para identificar as compras que não foram feitas por você e te alertar para um possível bloqueio do cartão.

Por falar em compras por aproximação, lembramos que é possível desativar a função e que dá para solicitar novos limites de valores para sua instituição, caso não sinta segurança em fazer pagamentos sem a senha.

Reserve uma quantia para gastar no débito todo mês

O fato de você ter o saldo em conta, não significa que você precisa gastá-lo por completo! Esse dinheiro pode ser usado para compor uma reserva para emergência ou para fazer um investimento, visando um projeto a longo prazo.

Em outras palavras, as compras no débito também precisam ser planejadas.

Para isso, você pode usar a regra 50,30,20, na qual:

  • 50% da sua renda vai para as despesas obrigatórias e fixas como aluguel, conta de luz, mensalidade da faculdade etc.
  • 30% vão para desejos pessoais e gastos com bens de consumo;
  • e 20% é reservado para pagar dívidas ou investir.

Fique à vontade para encontrar outras metodologias mais compatíveis com a sua renda. O importante é que os gastos no débito não saiam do controle, pois o dinheiro mal-usado pode fazer muita falta em um outro momento.

Opte pelo crédito em compras de maior valor

Uma das grandes vantagens do cartão de crédito é que ele permite parcelar compras, fazendo com que você não precise mais juntar dinheiro por longos períodos para adquirir um bem mais caro.

É claro que você não deve compras coisas caras só porque dá para parcelar, mas desde que bem planejadas, as compras feitas com esse recurso podem significar a realização de um sonho e a, ao mesmo tempo, uma folga para o orçamento.

Vale lembrar que clientes que têm o cartão de crédito Inter podem comprar vários produtos com cashback no Inter Shop, e ainda recebem dinheiro de volta na fatura do cartão, desde que cadastrem o boleto em débito automático e façam os pagamentos em dia. Com isso, cai o argumento de: “vou pagar à vista porque dá desconto”.

Na dúvida, coloque a compra na ponta do lápis para ver qual forma de pagamento será mais interessante.

Débito x Débito automático

E para finalizar, decidimos explicar a diferença entre os conceitos de débito e débito automático. A compra feita no débito, demanda uma ação do cliente, ex: inserir/aproximar o cartão e digitar senha.

Enquanto, no débito automático, você cadastra uma fatura como cartão de crédito ou conta de luz, por exemplo, e autoriza sua instituição financeira a debitar o valor na sua conta, todo mês, sem que você precise iniciar um novo pagamento. Por isso, o nome automático.

Os dois serviços são independentes mas podem ser usadas ao mesmo tempo, desde que você tenha saldo disponível tanto para a compra iniciada por você como para pagamento iniciado pela instituição.

E você, prefere passar as contas no crédito ou no débito? E por quê? Comenta aqui embaixo!

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe