Cuidando do seu dinheiro

Como funcionam as taxas e juros do cartão de crédito

Publicado em 15/07/2021

O cartão de crédito traz muita praticidade para os pagamentos, mas na hora que a fatura chega, muita gente se assusta.

E aí vem a pergunta: será que você sabe as taxas que são cobradas para você ter o cartão? E quanto aos juros? Você sabe como eles são calculados?

Nesse post vamos simplificar a conta para você.

Quais taxas são cobradas no cartão?

Já dizia aquele ditado popular: é de grão em grão que a galinha enche o papo. O mesmo vale para o mundo financeiro, pois é de taxa em taxa que os bancos e instituições tradicionais ficam ricos, entre elas as taxas cobradas no cartão de crédito.

A seguir, a gente te conta algumas cobranças que são feitas para você usar um cartão de crédito básico.

Anuidade

A principal taxa cobrada nos cartões é a anuidade que funciona como uma taxa de manutenção. Em geral, quanto mais serviços seu cartão tiver, maior será a taxa de anuidade. Como no caso de um cartão de crédito internacional, por exemplo.

A cobrança é feita em um valor fixo e mensalmente, mesmo se você não usar o serviço.

Saque

Muitos cartões de crédito permitem que os clientes façam saques utilizando o valor do limite do cartão, mas, cada vez que você usa esse serviço uma taxa é cobrada.

Pagamento de contas

De forma parecida com o saque, você também pode pagar contas usando o limite do cartão. O serviço também é passível de cobrança.

Segunda via de cartão

Outro caso típico de cobrança é o pedido de segunda via do cartão. Sabe quando você perde seu cartão ou é roubado e entra em contato com o banco para que ele te envie outro? Pois, então, o valor para emitir o cartão e enviar para sua casa é cobrado de você na fatura.

Avaliação emergencial de crédito

Periodicamente, os bancos e instituições financeiras avaliam seu histórico de crédito para saber se podem ou não te conceder mais limite. Mas, supondo que você precise de um aumento no seu limite, imediatamente, para fazer uma compra ou para uma emergência, terá que pagar por essa nova análise.

No Inter, existe uma alternativa para aumentar seu limite de crédito sem precisar passar por esse processo: trata-se do CDB Mais Limite de Crédito. Nele, qualquer valor investido por você é convertido em limite de crédito para seu cartão, e o investimento pode render até 102% do CDI.

>> Como usar o CDB Mais Limite de Crédito do Inter .

Taxas de parcelamento

Sempre que você opta por parcelar o valor total da fatura o banco ou emissora do cartão cobra uma porcentagem de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Entra as taxas que citamos aqui, essa é a única que cobramos no Inter.

>> Veja outras taxas que os bancos cobram aqui.

Como funcionam os juros do cartão?

Se você leu nosso artigo sobre como funciona o cartão de crédito, já deve saber que os juros do cartão só são cobrados em caso de atraso no pagamento da fatura.

Ou seja, todo mês você tem um ciclo da fatura do cartão e pode fazer compras usando seu limite disponível no período de 40 dias, para pagar depois.Se, na data de vencimento da fatura, você não tiver dinheiro suficiente para pagar o valor total ou mínimo da sua fatura, os juros começam a ser cobrados sobre o valor em aberto, até que você quite totalmente o débito.

Crédito rotativo

Os juros do cartão de crédito também são conhecidos como juros rotativos ou crédito rotativo. De forma resumida, é como se o banco estivesse te emprestando “mais dinheiro”, além do seu limite de crédito. E como você pode adivinhar essa linha de crédito tem um custo altíssimo para o consumidor.

Vamos a um exemplo.

Suponha que você tem uma fatura de R$500 e, por algum motivo, não conseguiu pagar. No próximo mês, você terá que pagar os mesmos R$500, com juros rotativos, que podem chegar até 16,9% ao mês, dependendo da instituição.

Além, claro, da multa por atraso, parcelas futuras, etc.

O cálculo da sua próxima parcela ficaria mais ou menos assim:

R$500 + (R$500 x 16,9%) + 2% + 1% =

R$ 500 + R$84 + R$10 + R$5 =

R$599

Onde:

  • R$500 é o saldo devedor da fatura;
  • 16,9% é o valor dos juros rotativos do cartão de crédito – que varia de instituição para instituição;
  • 2% correspondente a multa por atraso;
  • 1% de mora cobrado por mês, pago proporcionalmente a quantidade de dias de atraso da fatura.

No Inter, a taxa do rotativo é de apenas 7,7%, uma das menores do mercado.

Como calcular os juros do cartão?

  1. Pegue o valor total da fatura e subtraia o valor que foi pago por você;
  2. Em seguida, multiplique esse valor pela porcentagem do crédito rotativo, para encontrar os juros;
  3. Some o saldo devedor da fatura com o valor do crédito rotativo;
  4. Se quiser saber quanto virá a fatura no próximo mês, acrescente o valor das parcelas em aberto.

Pagamento mínimo é a solução?

Pagar o valor mínimo é sempre melhor do que não pagar nada, uma vez que você se livra da multa por atraso e mantém aquela linha de crédito ativa. Porém, ele deve ser o último recurso, pois o valor restante entrará no crédito rotativo.

Por exemplo, imagine que da fatura de R$500 você conseguiu pagar R$250.

A conta seria:

R$250 + (R$250 x 16,9%) =

R$250 + R$42,25= R$292,25

Onde:

  • R$250 é o saldo devedor;
  • 16,9% valor do crédito rotativo.

Nossa sugestão é que você só pague o valor mínimo, quando puder quitar a fatura no mês seguinte, caso contrário sua dívida pode virar uma bola de neve.

Como o mínimo é calculado?

O valor mínimo será sempre informado na fatura ou pelo aplicativo do cartão, não se preocupe! Ele é calculado da seguinte forma:

  • 15% das compras mensais (esse valor pode variar conforme a instituição);
  • 15% das compras que ficaram em aberto no mês anterior;
  • O total de juros, multas e IOF acumulados;
  • Futuras parcelas.

Se tiver dúvidas sobre o valor mínimo da fatura, entre em contato com a sua instituição.

Quais são as regras do rotativo?

Desde 2017, o crédito rotativo passou por algumas mudanças e agora ele só é válido por 30 dias. Ou seja, caso o valor pago por você esteja entre o mínimo da fatura e o total e seja diferente de qualquer valor de parcela ofertada pelo banco, o saldo restante será financiado pelo crédito rotativo na sua próxima fatura.

Após esse período, se o pagamento integral da fatura não for feito, você só poderá pagar o valor proposto pelo emissor do cartão. Ao fazer esse pagamento, a instituição entende que a fatura será parcelada e, a partir dos próximos meses, te cobrará esse valor.

O cliente que pagar um valor menor que o mínimo, perde o direito ao crédito rotativo, e entrará no parcelamento compulsório direto. Nesse modelo, ele pagará o restante do valor em 10 parcelas, com prestações estipuladas pela instituição emissora do cartão.

E por último, os clientes que não pagarem ou pagarem um valor abaixo do parcelamento compulsório, terão o cartão bloqueado e pagarão encargos de rotativo, multa, juros moratórios, IOF e juros remuneratórios.

Nesse post a gente te explica as regras atuais do rotativo.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe