É verdade que o número de investidores tem crescido muito.

Outra procura que só tem aumentado é a do público brasileiro interessado em investir no exterior.

Mas, antes de começar qualquer investimento, é importante estudar e avaliar cada detalhe.

Que tal se habituar nesse universo de investimento internacional? A gente te conta nesta matéria 💰

Como investir no exterior

A primeira coisa que você deve fazer é tirar de vez da cabeça aquela balela que investir no exterior é coisa de gente rica ou que é algo muito complicado de ser feito.

Investir no exterior é aplicar o seu dinheiro em ativos financeiros fora do Brasil, simplão assim.

Separamos as principais dúvidas sobre investir lá fora pra facilitar o seu entendimento, acompanha com a gente!

A forma mais simples de se investir no exterior é com o BDR , ele é - basicamente - o certificado emitido no Brasil que representa as ações das empresas estrangeiras.

Agora é possível realizar este investimento através do home broker internacional do Inter.

Outra opção é a de abrir uma empresa nos EUA, chamado offshore. Esta opção tem o custo de manutenção de empresa, especialmente se há patrimônio.

Já o Home Broker internacional, lançamento do Inter em 2021, proporciona a experiência de expandir as oportunidades de investimentos com a Bolsa de Valores dos EUA junto à Nasdaq e NYSE.

Vantagens e Desvantagens de Investir no Exterior

Vantagens

O real, a moeda brasileira, foi adotado em 1994, após diversas trocas monetárias, portanto é considerada como uma moeda jovem e não tão forte perante o mundo. Diferente do dólar, que é visto como a moeda universal e existe desde 1776, que por consequência proporciona uma segurança maior, devido a sua estabilidade e relevância.

Investir no exterior tem como uma das vantagens a oportunidade de diversificação de moedas, justamente pelo fato da exposição à demais economias, além da brasileira.

Ao investir em grandes multinacionais o investidor brasileiro passa a ter acesso à empresas relevantes no mercado mundial. Sem contar que a variedade de ativos aumenta significativamente visto que, na Bolsa Brasileiras, há cerca de 550 empresas listadas. Já no mercado financeiro dos EUA a quantidade é de mais de 6 mil ativos diferentes.

Além da variedade de empresas um ponto super vantajoso está na ampliação de setores. alguns deles estão presentes apenas no mercado global, como o setor de entretenimento e tecnologia por exemplo, que não fazem parte das empresas da B3.

Desvantagens

Ao realizar o envio de dinheiro para a conta mediante a transação de câmbio é realizada a cobrança da taxa de câmbio e IOF, o imposto sobre a operação de crédito e seguros.

É necessário realizar a declaração do Imposto de Renda e a forma de fazê-lo é bem semelhante com os de investimentos em BDR’s, com o carnê-leão. Importante se atentar que o imposto original pode ser descontado antes de chegar até você.

Investimentos no Exterior – Quais os Riscos?

A diversificação, como tratamos acima, faz com que os riscos sejam menores, mas é importante se atentar à variação cambial.

Ou seja, se em algum momento o dólar cair e o real aumentar, o rendimento do seu investimento também desvalorizará, tal qual o dólar.

A situação inversa também entra em vigor: se o dólar aumentar e o preço do real cair, a rentabilidade da aplicação subirá.

Fora o câmbio, investimentos internacionais também implicam em riscos de mercado, liquidez, crédito e situação política.

Assim como qualquer investimento, não há receita de bolo, é preciso a análise e acompanhamento cautelosos.

O que é a Nasdaq e a NYSE?

Nasdaq e NYSE são as duas principais bolsas de valores dos Estados Unidos, que lidam com ações de grandes companhias.

A sigla de NYSE vem de The New York Stock Exchange, ou seja, a Bolsa de Valores de Nova York, considerada a maior do mundo, existente desde 1792, localiza-se em Wall Street, o centro financeiro de Manhattan.

Já a Nasdaq foi criada em 1971 e é considera a segunda maior bolsa de valores dos Estados Unidos. Se você já conhece um pouco de investimentos, a Nasdaq se assemelha a B3, com a atuação voltada para empresas de tecnologia.

A principal diferença entre elas está no fato de que a NYSE conta com ações de indústrias e empresas que estão no mercado há mais tempo, portanto, consolidadas. A Nasdaq, por sua vez, oferece uma lista de empresas voltadas para tecnologia, ou seja, corporações mais novas e provavelmente em alta.

Se na NYSE encontram-se empresas como The Walt Disney, General Electric e Johnsons & Johnsons, na Nasdaq é possível negociar ações de corporações como Google, Apple e Facebook. Ou seja, as duas bolsas são verdadeiramente interessantes.

Você já teve ter visto, em algum momento, aquela cena de filme onde os corretores contracenam a disputa - no grito - da compra e venda de ações. Pois é, esse auê jamais existiu na Nasdaq, que nasceu quebrando os padrões de mercado ao atuar de forma eletrônica.

O que é um Home Broker?

O Home broker é uma ferramenta que proporciona a negociação de ações de forma digital. Desta forma os investidores conectam-se às corretoras e ao ambiente da bolsa de valores, podendo operar por conta própria de forma simples, rápida e eficiente, visto que não é necessário depender exclusivamente da mesa de operações para atuar.

Pelo Home Broker do Inter é possível comprar e vender ações, acompanhar as cotações em tempo real, visualizar sua carteira de ações e muito mais. No Inter, como já é de se esperar, não tem taxa de corretagem.

Você também pode entender melhor sobre Home Broker nessa matéria aqui !

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe
Assuntos relacionados
Para simplificar a vida Inter Bank
Conta Internacional: O que é e Como Funciona

Com a conta internacional é possível abrir uma conta em moeda estrangeira sem sair do...

Leia mais
Viver é Inter
Inter amplia atuação internacional e prevê lançamento de conta internacional

Fique por dentro dos detalhes da mais nova aquisição do Inter...

Leia mais