Cuidando do seu dinheiro

Como negociar dívidas: um guia definitivo para sair do vermelho

Publicado em 21/05/2021

Guest post escrito pela equipe do Meu Acerto.

Entra no Serasa, sai do Serasa, entra no SPC, sai do SPC e assim, se passam anos a fio em dívidas intermináveis. Você vive nesse círculo vicioso como milhares de brasileiros? Saiba que, ainda que não pareça, existe luz no fim do túnel! O segredo é apenas um: entender como negociar dívidas de forma inteligente e definitiva.

Se o que você precisa é de uma ajudinha para sair desse vai e vem do endividamento, está no lugar certo! Vamos te mostrar como acabar com as dívidas de forma saudável para o seu bolso e como conquistar hábitos para não se endividar mais. Vamos começar?

O perigo dos juros compostos

É muito comum ouvirmos falar que a dívida “virou uma bola de neve” por causa dos juros, mas você sabe como isso acontece? Bem, a explicação é simples: os juros compostos são o tipo de juros cobrados na maioria dos serviços financeiros.

Isso quer dizer que esses juros vão se somando aos valores já pendentes de pagamento e por isso são conhecidos como “juros sobre juros”. Se você tem uma fatura de cartão de crédito de R$ 500 em um mês e não consegue pagá-la, no mês seguinte serão cobrados, ao mesmo tempo:

  1. Esses R$ 500 acrescidos da taxa de juros, que varia de um banco para outro, mas, geralmente, fica entre 12,9 % e 16,9%;
  2. as parcelas que viriam naquele mês;
  3. as multas e encargos por atraso.

Não é à toa que a expressão “bola de neve” resume bem tudo o que acontece aqui, concorda? E essa situação é uma das que mais prejudicam o pagamento total dos débitos. E é uma das razões pelas quais você deve sempre priorizar o pagamento das suas dívidas

Passo a passo para negociar dívidas

Mesmo que você conclua a leitura deste artigo ciente de que agora não é o momento certo para acabar com as suas dívidas — logo você entenderá o motivo de estarmos falando isso —, tenha em mente que você já está de parabéns por ter dado o primeiro passo rumo ao nome limpo.

Além de buscar entender o melhor caminho, é preciso investir nas seguintes medidas:

1. Faça um levantamento de tudo o que deve

Sabe aquela dívida que você fez há tanto tempo que já nem se lembra mais? Pois é, ela pode ser um dos motivos de você estar com o score de crédito baixo, e o pagamento dos débitos antigos é o primeiro passo para aumentá-lo.

Por isso, consulte suas dívidas e faça um apanhado de tudo:

  • Quais lojas, bancos e instituições financeiras você deve;
  • Quanto tempo tem cada dívida;
  • Qual o valor delas;
  • Em quais locais é possível renegociar — existem dívidas que podem ter sido vendidas para recuperadoras de crédito;
  • Anote tudo e faça um planejamento a partir dos passos seguintes.

2. Avalie suas condições atuais

Tão importante quanto atualizar-se do valor das dívidas e identificar uma a uma é saber se você realmente terá condições de fazer o pagamento, por menores que sejam as parcelas. Ainda que as instituições financeiras ofereçam condições facilitadas para renegociação de dívidas, é preciso avaliar a sua realidade financeira.

Se você está recebendo seguro-desemprego, por exemplo, avalie questões como:

  1. Agora é o momento ideal para eu quitar essas dívidas?
  2. Vou ter dinheiro suficiente para pagar contas básicas como água, luz, telefone e os gastos com alimentação?

Nesse momento, é importante colocar todas as despesas que você tem na ponta do lápis e fazer uma análise do seu orçamento mensal para identificar o quanto você poderá pagar por mês na quitação das dívidas. Lembre-se de que pior do que dever é fazer a renegociação sem saber se terá o dinheiro para arcar com o compromisso.

3. Junte dinheiro para pagar à vista

Ok, sabemos que nem sempre é possível pagar o débito à vista, mas saiba que os benefícios de seguir por esse caminho são tantos, que o esforço pode valer a pena. Uma boa alternativa pode ser juntar todo o dinheiro que conseguir por alguns meses, pra tentar obter melhores descontos pagando de uma vez só.

4. Procure um feirão de renegociação ou instituições especializadas

Existem uma série de iniciativas das instituições de negociações de dívidas que buscam oferecer condições facilitadas para que os clientes possam pagar suas dívidas e limpar o nome. São os chamados feirões de negociação.

Eles são uma boa oportunidade para negociar descontos atrativos, mas costumam acontecer em períodos específicos e você precisa consultar quando estarão disponíveis na sua região.

Outra boa medida é procurar empresas especializadas em negociação, como a Meu Acerto. Por lá, é possível negociar sem sair de casa e com a privacidade que você precisa. Acesse a plataforma, escolha uma forma de pagamento que realmente seja vantajosa para você e defina parcelas que caibam no seu bolso.

Dicas para não se endividar de novo

Chegamos a um dos pontos mais desafiadores para quem quer saber como sair do vermelho de forma definitiva: adotar e manter bons hábitos financeiros. Veja algumas dicas para começar!

1. Fique apenas com um cartão de crédito

Agora é hora de abrir mão dos vários cartões de crédito eescolher apenas um para fazer suas compras, pois ter muitos cartões é um gatilho para comprar mais. Além de eleger só um para ser seu amigo na hora dos perrengues, é preciso reduzir o consumo e cortar os supérfluos.

Lembre-se de que você está na fase de pagamento das dívidas para conseguir se estruturar de novo e isso pede que você coloque o pé no freio na hora das compras. Uma sugestão é utilizar até 30% do limite disponível.

2. Pense antes de comprar

Há muito tempo, uma das principais causas do endividamento do brasileiro é a falta de controle nos gastos. Muitas pessoas cedem aos impulsos e compram coisas que não estavam no planejamento e isso contribui para o descontrole financeiro.

Por isso, pense duas vezes antes de adquirir aquele relógio baratinho ou o enfeite para a casa que você nem precisa tanto, mas quer a todo custo — esse é um custo que pode esperar, certo?

Viu que não existe um modelo de como sair das dívidas? É preciso saber negociá-las e ter atenção para não se endividar de novo. Após entender como negociar dívidas de forma inteligente, invista nas dicas que oferecemos aqui e em um bom planejamento financeiro mensal. A partir disso, você verá sua vida financeira decolar!

Deixamos aqui as nossas sugestões, mas tenha sempre em mente que você deve adequá-las à sua realidade financeira, certo? Quer conferir outras informações para sair dos perrengues financeiros? Inscreva-se no Clube do Corre e receba, toda semana, dicas do Pago Quando Puder, uma plataforma de conteúdos que busca garantir mais qualidade de vida financeira aos brasileiros.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe
Assuntos relacionados
Cuidando do seu dinheiro
3 situações em que é melhor negociar as dívidas

Por Helbert Fernandes – Produtor de Conteúdo da Acerto. ...

Leia mais
Cuidando do seu dinheiro
Como aumentar seu score de crédito

O score é um elemento importante da sua vida financeira pois determina seu perfil de...

Leia mais
Cuidando do seu dinheiro
Como sair das dívidas: 6 passos para acabar de vez com elas

Você está chegando no segundo semestre do ano com a sensação que não fez nada...

Leia mais