Cuidando do seu dinheiro

4 formas de usar o dinheiro da restituição

Publicado em 07/04/2021

No próximo mês, começa o calendário de restituição do Imposto de Renda. O primeiro lote será pago no dia 30/05 para os grupos prioritários e para os contribuintes que saíram na frente e já entregaram a declaração.

Você já pensou no que vai fazer com o dinheiro da restituição?

Ainda não?

A seguir, compartilhamos 4 dicas.

Mas antes: será que você tem direito a restituição?

A maioria do Imposto de Renda no Brasil é retido na fonte e, com isso, existe o risco de alguns contribuintes pagarem imposto a mais. A restituição é o momento para a Receita Federal fazer o acerto de contas e devolver o valor que foi pago de imposto, indevidamente.

Ou seja, nem todo mundo que declarou terá direito ao benefício. Em linhas gerais, quanto mais despesas dedutíveis o contribuinte declarar, maior será sua restituição.

Qual o valor da restituição?

O valor varia de acordo com as despesas dedutíveis lançadas pelo contribuinte em sua declaração, mas cada categoria de despesas tem um teto de restituição, como mostramos a seguir.

  • Despesas com educação: até R$ 3.561,50 por dependente;
  • Despesas com dependentes: até R$ 2.275,08 por dependente;
  • Despesas médicas: Valor ilimitado, desde que as despesas sejam compatíveis com a lista aprovada pela Receita Federal;
  • Doações incentivadas: 6% do valor pago de IR pelo contribuinte;
  • Contribuições à Previdência Social: Valor Ilimitado;
  • Contribuição à Previdência Privada: 12% do valor dos rendimentos tributáveis. Válido apenas para Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL);
  • Pensão Judicial: Valor Ilimitado.

Dica importante: Nos casos em que as despesas dedutíveis ultrapassarem 20% do valor pago de Imposto de Renda é recomendado que o contribuinte faça a declaração no modelo completo.

O que fazer com o dinheiro da restituição?

Nem sempre o pagamento da restituição será suficiente para realizar um grande projeto, mas dá para:

1. Usar o dinheiro para criar uma reserva de emergência

Com a alta da inflação estamos perdendo poder de compra todos os dias, isso faz com que guardar o dinheiro não seja, nem de longe, a melhor opção.

Ao invés disso, você pode construir sua reserva de emergência, optando por investimentos de baixo risco, com alta liquidez e que ofereçam alguma rentabilidade como CDB, LCI, LC, LCA, CRI e Tesouro Direto.

2. Investir o dinheiro

Caso você já tenha sua reserva financeira e não precise do dinheiro imediatamente, pode começar a diversificar sua carteira aderindo à Fundos de Investimento, Fundos Imobiliários e Fundos de Fundos.

Esses investimentos te darão acesso a ativos de qualidade, com gestão profissional e por preços mais em conta. Lembre-se apenas de buscar opções que sejam compatíveis com seu perfil de Investidor.

Caso tenha um perfil mais arrojado você também pode investir por conta própria usando o nosso Home Broker.

3. Aumentar seu limite de crédito

Já conhece o CDB + Limite do Inter? Com ele, você investe qualquer valor, a partir de R$100, e o dinheiro é convertido em limite de crédito na hora. Resultado: você aumenta o poder de compra do seu cartão, melhora seu planejamento financeiro fazendo compras à prazo e, enquanto o dinheiro fica aplicado, recebe rendimentos a partir de 100% do CDI, que é melhor do que a poupança.

Veja o passo a passo para usar o Limite Investido.

4. Pagar contas

A restituição nada mais é do que a devolução de um valor que você pagou a mais, mas não deixa de ser uma grana “extra” no orçamento!

Essa pode ser a oportunidade para amortizar parcelas de seu financiamento, quitar o cartão de crédito ou para renegociar dívidas antigas e melhorar seu score na praça.

Já entregou sua declaração?

Se você está buscando conteúdos sobre restituição é sinal de que não quer gastar o dinheiro por impulso, certo? Mas nenhuma das dicas que demos aqui serão úteis se você não cumprir um requisito básico: entregar sua declaração dentro do prazo.

Por causa da pandemia, o período foi estendido até dia 31/07. Já os lotes de restituição serão pagos de maio a setembro, por ordem de entrega da declaração.

Ficou com alguma dúvida sobre o Imposto de Renda? Acesse nossos últimos conteúdos sobre o assunto.

Gostou? Compartilhe

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos