Quando o assunto é investimentos, você já deve estar cansado de ouvir que não se deve colocar todos os ovos na mesma cesta, né? Por mais batido que esse ditado esteja, não podemos negar que essa estratégia é indispensável, tanto para quem já investe quanto para quem deseja começar.

Os fundos de investimento multimercado são uma categoria de fundos de investimento que oferece essa tão almejada diversificação. Isso porque, como o próprio nome indica, eles são constituídos por ativos de diversos setores.

A seguir vamos te explicar melhor o objetivo desses fundos, suas principais características e como investir neles, confira!

O que são fundos de investimento?

Um fundo de investimento é um tipo de aplicação coletiva formada pelos recursos de diversos investidores. Esse montante é administrado por uma gestora, que aplica a quantia em um ou mais produtos, de acordo com uma estratégia definida, com o objetivo de atingir os melhores rendimentos.

Ao investir em um fundo, você adquire uma cota dele. Todas as cotas possuem o mesmo valor, e o impacto do fundo na sua carteira é diretamente proporcional ao número de cotas, ou seja, quanto maior a sua participação naquele fundo, maior serão seus lucros, ou perdas. Por isso as pessoas que investem nesses ativos recebem o nome de cotistas.

Para ficar mais fácil de lembrar, imagine que o fundo é um condomínio e que cada apartamento é uma cota. Nessa lógica, toda pessoa que adquiriu um imóvel é um cotista, e o síndico é o gestor responsável pelo fundo.

A classificação de um fundo está relacionada ao tipo de ativo onde está investida a maior parte do seu patrimônio. Fundos de ação, por exemplo, são compostos em sua maioria por ações, fundos imobiliários, por imóveis, fundos cambiais, por moedas, e por aí vai.

O que são fundos multimercado?

Seguindo a lógica que explicamos acima, os fundos multimercado são uma categoria de fundos de investimentos que investem seu patrimônio em ativos de diversos setores do mercado. Por isso, na carteira desses fundos você pode encontrar títulos de renda fixa, ações, moedas, imóveis, juros, etc. A proporção de cada um desses ativos vai depender da estratégia adotada pelo gestor.

Rentabilidade

Assim como nos demais fundos, o objetivo e a estratégia dos multimercado são definidos pelo gestor responsável.  Alguns fundos adotam estratégias mais arrojadas, investindo em ativos de maior risco para tentar aumentar sua rentabilidade. Outros dão preferência para títulos mais conservadores que oferecem um pouco mais de segurança para o investidor. Justamente pela diversidade de caminhos que podem ser adotados, a rentabilidade desses ativos é extremamente variável.

Resgate

Os fundos multimercado podem ter algumas particularidades no que diz respeito ao resgate do valor investido. Alguns fundos podem ter um prazo de carência, que é um período depois da data da aplicação em que não é possível resgatar o investimento. Além disso, eles também costumam ter baixa liquidez, uma vez que tendem a aplicar seus recursos em títulos mais difíceis de serem negociados.  Isso significa que em alguns casos você tem que esperar dias, ou até meses, para resgatar o valor investido.

Custos

Como forma de remunerar os gestores pela administração do fundo é cobrada uma taxa, conhecida como taxa de administração. Ela está presente em todos os fundos e incide sobre o patrimônio investido. Nesse caso, quanto maior essa taxa menor o valor líquido recebido pelo investidor no prazo final.

A taxa de performance, por sua vez, não é tão frequente, mas pode aparecer. Essa cobrança é uma espécie de bônus que o gestor recebe quando o fundo entrega uma rentabilidade superior ao seu índice de referência. Nesse caso a cobrança incide apenas sobre a quantia excedente.

No documento conhecido como lâmina você encontra as principais características sobre os fundos de investimento. Ela reúne informações como objetivos, taxas, política de investimentos, rentabilidade acumulada, valor mínimo para aplicação, etc. Consultar a lâmina é um bom hábito para quem investe ou quer investir nesses ativos.

Tributação

Existem dois principais impostos que incidem sobre os fundos multimercado: o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e o Imposto de Renda (IR).

O IOF incide de forma regressiva sobre os primeiros 30 dias de aplicação - ele começa com 96% no dia 1 e vai diminuindo até chegar a 0% no dia 30. Portanto, o investidor só terá o desconto dessa tributação se resgatar o investimento antes desse prazo.

Já o IR sempre é cobrado sobre a rentabilidade do fundo, ou seja, o lucro que o investidor obteve. Ele também segue uma tabela regressiva, onde quanto maior o tempo de aplicação, menor é a taxa descontada.

Os fundos são divididos em duas categorias, de longo prazo e de curto prazo. Os primeiros são aqueles que possuem o vencimento menor que 365 dias. No caso dos segundos, esse prazo é maior que 365 dias. Isso é importante pois vai interferir na cobrança do IR.

>> Saiba o que é o come-cotas e como ele afeta os fundos de investimentos

Fundos de Curto Prazo

Prazo do investimento Alíquota do IR
Até 180 dias 22,5%
Acima de 180 dias 20%

Fundos de Longo Prazo

Prazo do investimento Alíquota do IR
Até 180 dias 22,5%
De 181 a 360 dias 20%
De 361 a 720 dias 17,5%
Acima de 721 dias 15%

Como funcionam as estratégias de fundos  multimercado?

Além de serem diversos na composição, os fundos multimercado também são plurais nas estratégias que podem ser adotadas pelos gestores na administração do patrimônio. Diante disso, a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) classificou subcategorias que fazem parte do escopo desse tipo de fundo. Abaixo explicamos um pouco sobre algumas delas:

1. Balanceados

São aqueles que tem uma estratégia de alocação pré-determinada e uma política de rebalanceamento que deve ser definida no regulamento. Eles não permitem alavancagem, ou seja, multiplicar a rentabilidade do fundo através de endividamento.

2. Dinâmicos

Ao contrário dos balanceados, os fundos classificados como dinâmicos não possuem uma alocação predefinida. Nesse caso, existem faixas amplas em seu regulamento para determinada classe de ativo. Por exemplo, 30% a 60% do patrimônio será investido em renda fixa.

2. Estratégia Macro

Os gestores desses fundos avaliam as condições macroeconômicas, e suas projeções para o médio e longo prazo, para prever como isso pode impactar nos preços de ativos. Com isso eles conseguem se antecipar e adquirir ativos com valores mais baixos, a fim de acumular retornos positivos no futuro.

3. Estratégia Trading

Na contramão da estratégia macro, fundos de estratégia trading observam as oscilações de preços para realizar operações pontuais que forneçam ganhos no curto prazo.

4. Estratégia Long and Short

Se você já operou no mercado de ações é provável que tenha ouvido esses termos, caso contrário a gente te explica. Long representa uma posição comprada, enquanto Short representa uma posição vendida. Gestores de fundo com essa estratégia se utilizam dessas operações para rentabilizar o dinheiro dos cotistas.

5. Estratégia Juros e Moedas

Fundos que seguem essa linha operam com moedas e ativos atrelados a juros e inflação. Eles também são conhecidos por lidarem com moedas estrangeiras, como euro e dólar. Eles e buscam retorno no longo prazo e não podem aplicar em renda variável.

6. Estratégia Livre

Esses fundos costumam se moldar ao momento do mercado. Por isso eles podem combinar uma ou mais estratégias citadas acima.

7. Estratégia Específica

Já os fundos que adotam a estratégia específica procuram correr riscos específicos, relacionados a mercados como de commodities e futuro de índice.

8. Capital protegido

Esse tipo de estratégia faz uma mescla entre ativos de maior segurança da renda fixa com outras opções mais arriscadas. O objetivo é criar uma espécie de proteção a carteira, fazendo com que os ganhos da renda fixa equilibrem as perdas que possam ocorrer na renda variável.

Vantagens e desvantagens dos fundos multimercado

Como todo investimento, os fundos multimercado possuem particularidades que, a depender do investidor, podem ser vistas como positivas ou negativas.

No início desse texto, destacamos que uma das principais características desse investimento é a diversificação da carteira, uma vez que eles são constituídos por ativos de diferentes tipos e stores. A gestão especializada também é um diferencial, principalmente para os investidores que não possuem tanta segurança na hora de escolher onde investir seu dinheiro. Por outro lado, é importante lembrar que isso faz com que sejam cobradas algumas taxas, que podem ser maiores ou menores a depender da gestora.

Outros dois pontos que devem ser avaliados com atenção antes de investir em fundos multimercado são: liquidez e risco. Como já explicamos, esses investimentos costumam ter prazos mais longos, o que faz com que sejam mais recomendados para investimento de médio ou longo prazo. Além disso, é sempre bom ter em mente que a busca por maiores rentabilidades pode acarretar algumas perdas.

Como escolher um fundo de investimento multimercado?

Antes de olhar para o ativo, é importante que você conheça o seu perfil de investidor, essa informação diz respeito a margem de risco que você está disposto a correr com seus investimentos. Tão necessário quanto é definir seus objetivos, para que você consiga escolher ativos que estejam alinhados com eles.

Feito isso, você pode partir para a análise dos fundos. Nesse momento, observe o histórico com atenção, avalie as taxas cobradas e o nível de risco. Além disso, tente se manter informado sobre o mercado, afinal isso também vai interferir na sua escolha.

Na Inter Invest, o portal de notícias sobre o mercado financeiro Inter, você encontra análises atualizadas sobre os melhores fundos de investimentos feitas pelos nossos especialistas. Lá você também tem acesso ao comparador de fundos, uma ferramenta que permite comparar o desempenho de diferentes ativos dessa classe.

>> Quer começar a investir, mas não sabe como? Aqui a gente te dá o caminho.

Como investir em fundos multimercado?

Para investir em fundos multimercado, ou em qualquer outro tipo de fundo, é necessário abrir conta em uma corretora. Elas funcionam como uma grande vitrine, oferecendo diversos produtos financeiros de todos os setores e categorias.

Quer ir além? Então seu lugar é no Inter! Aqui você tem tudo o que precisa dentro do Super App, incluindo a Inter Investpremiada em 2021 como a melhor corretora digital do Brasil.

Ah, e tem mais! Ao investir a partir de R$ 50 mil, você se torna cliente Inter One com o benefício de ter o acompanhamento de um advisor para te auxiliar e recomendar as melhores opções do mercado de acordo com o seu perfil de investidor.

>> Quero ser Cliente Inter One!  

Dúvidas Frequentes sobre Fundos Multimercado

O que é um fundo multimercado?

Fundos multimercado são uma categoria de fundos de investimentos que investem seu patrimônio em ativos de diversos setores do mercado. Por isso, na carteira desses fundos você pode encontrar títulos de renda fixa, ações, moedas, imóveis, juros, etc. A proporção de cada um desses ativos vai depender da estratégia adotada pelo gestor.

Saiba todas as características desse investimento. 

Quais as taxas de fundos multimercado?

Como forma de remunerar os gestores pela administração do fundo é cobrada uma taxa, conhecida como taxa de administração. Em alguns casos, pode ser cobrada a taxa de performance, que é uma espécie de bônus que o gestor recebe quando o fundo entrega uma rentabilidade superior ao seu índice de referência. Nesse caso a cobrança incide apenas sobre a quantia excedente.

Conheça os tipos de estratégia que podem ser adotadas na gestão de um fundo multimercado. 

Porque investir em fundos multimercado?

Os fundos multimercado são uma opção interessante para quem busca diversificar sua carteira de investimentos, mas ainda não tem segurança para escolher os ativos. Isso porque eles contam com uma gestão especializada, que aplica os recursos do fundo em diversos produtos, de acordo com uma estratégia definida, com o objetivo de atingir os melhores rendimentos.

Conheça todas as vantagens e desvantagens desse tipo de investimento. 

Qual a tributação dos fundos multimercado?

Existem dois principais impostos que incidem sobre os fundos multimercado: o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e o Imposto de Renda (IR). O IOF incide apenas sobre os primeiros 30 dias da aplicação de maneira regressiva. Já o IR sempre é cobrado sobre a rentabilidade do fundo, ou seja, o lucro que o investidor obteve. Ele também segue uma tabela regressiva, onde quanto maior o tempo de aplicação, menor é a taxa descontada.

Veja qual o valor da taxa de acordo com o prazo do investimento. 

https://static.bancointer.com.br/blog/author/images/9cb5e9b0f33f42aebc4eaa3feaa32f3b_20220629_103423.jpg
Helena BenficaEstagiária de Conteúdo e CRM

Estudante de Jornalismo na UFMG. Escrevo para simplificar informações que impactam seu dia a dia!

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe
Assuntos relacionados
Para simplificar a vida Inter Invest
Fundos Imobiliários: o que são e como investir?

Invista no setor imobiliário sem ter um imóvel! ...

Leia mais
De olho no mercado
O que são ADRs?

Apesar de ser a maior do mundo e ser referência de operações financeiras a maioria...

Leia mais
De olho no mercado
Como diversificar uma carteira de ações

Veja como compor uma carteira de ativos que te trará resultado...

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
Como e por que investir no exterior?

Preparamos um material pra você entender como funciona os investimentos internacionais....

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
Dividendo em dólar: Entenda o que é e como receber

Saiba como e porque dolarizar sua carteira para receber um dinheirinho extra em dólar!...

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
Carteira de dividendos: o que é e como montar a sua?

Veja as dicas para lucrar com dividendos. ...

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
Invista em fundos e ganhe dinheiro de volta

Entenda como funciona a cashback para quem investe no Inter!...

Leia mais