Recentemente vem se falando muito em criptomoedas. Termos como Bitcoin, Ethereum e Mineração estão ficando cada vez mais populares. Mas você sabe como isso funciona?

A mineração é responsável por colocar mais moedas no mercado e controlar a oferta. Ela é um bom primeiro passo para começar a entender sobre esse mundo novo.

Vem que a gente te explica direitinho 💰

Como funciona a mineração de criptomoedas?

Mineração de Criptomoedas é o processo para introduzir novas moedas à oferta em circulação. Isso é feito através da resolução de problemas matemáticos complexos por vários computadores ao mesmo tempo.

O primeiro computador a resolver a equação é “premiado” com um valor chamado hash. Ele permite verificar a validade da moeda e, em consequência, manter a rede segura. Então, uma blockchain registra as novas transações em uma cadeia cronológica.

Em termos técnicos, a mineração de criptomoedas é um processo que envolve computadores e criptografia resolvendo equações para adicionar dados a uma rede blockchain.

Mas o que é uma Blockchain?

A blockchain nada mais é do que uma rede que conecta blocos de códigos de forma cronológica. De forma simples, cada computador é como um nó separado apto a receber, criar, salvar e enviar dados para a rede.

Isso cria uma rede ponto-a-ponto que funciona de forma descentralizada. Sem um agente que exerça autoridade sobre as transações e integrantes da rede.

Cada computador é um minerador que envia dados para a blockchain organizar nos blocos. Novas transações são verificadas e validadas antes de serem reconhecidas pela rede.

Quando uma transação é reconhecida pela rede, elas são adicionadas ao bloco. Portanto, a mineração envolve verificar as transações de um bloco e incorporar à rede blockchain.

Para garantir que cada moeda é válida e não haver fraude, os mineradores devem resolvem um algoritmo de protocolo de consenso. Alguns hardwares são mais capazes de resolver esses algoritmos.

Essa capacidade é a hashrate, um indicador do poder computacional utilizado para encontrar a solução. Ela determina qual computador será premiado.

Os principais protocolos de consenso

Basicamente, duas formas sãoo mais utilizadas na mineração de criptomoedas: a Proof of Work e a Proof of Stake. Apesar de existir outras, elas são as mais estáveis e, portanto, mais aceitos no mercado.

Proof of Work

Proof of Work é a forma de mineração mais comum. Ela concentra o poder de processamento de peças como GPU’s, ASICs e FPGAs. O hardware minerador resolve equações aplicando energia e poder de processamento.

O minerador só é recompensado quando encontra a solução de cada uma dessas equações. As redes Bitcoin e Ethereum utilizam consensos Proof of Work.

Proof of Stake

Já o Proof of Stake necessita de alguém controlando parte das moedas de uma determinada blockchain. Ele é responsável pela validação das novas transações da rede.

Esse método utiliza um processo de eleição aleatória para determinar quem será o validador dos novos blocos entre os mineradores que já possuem moedas naquela rede.

O Proof of Stake consome menos energia que o Proof of Work, mas a blockchain torna-se mais centralizada.

Tipos de Mineradores

Como mencionado, existem diferentes tipos de mineradores com desempenhos diferentes em cada tipo de algoritmo. Os mais utilizados são:

  • ASICs: do inglês Application Specific Integrated Circuit (Circuito Integrado de Aplicação Específica), são mais utilizados para minerar moedas que exigem alto valor de poder computacional e, portanto, consome muita eletricidade.

  • FPGAs: são basicamente intermediários entre ASICs e mineradores GPU. São versáteis e podem minerar tipos diferentes de moeda. São mais lucrativos do que GPUs mas são mais caros.

  • GPUs: mineradores que utilizam placas de vídeo em conjunto para conseguir mais poder computacional. Quanto mais placas, maioir o hashrate. São os mais comuns e mais fáceis de manter em casa.

As recompensas de mineração de criptomoedas

Um processo de mineração começa com um dos nós definindo uma transação base de recompensa conhecida como “Coinbase Transaction”. Ela define qual é a recompensa pela formação daquele bloco específico.

Geralmente, a Coinbase Transaction é a primeira dentro de cada novo bloco. Os mineradores, então, ficam responsáveis pela criação de novos blocos e quando formados, são recompensados pelo trabalho aplicado naquele bloco.

A rede Bitcoin, por exemplo, utiliza um teste de complexidade chamado SHA 256. Nele, os mineradores devem fazer um bloco alcançar uma quantidade de hashs determinada pelo software, procurando uma seção chamada nonce.

Só quando ela é encontrada os mineradores são recompensados.

As etapas do processo de mineração de criptomoedas

À primeira vista, muitos termos e processos estão envolvidos na mineração de criptomoedas. Aqueles que não estão familiarizados com a terminologia podem sentir-se perdidos com tantas etapas.

Mas resumidamente, a mineração segue um padrão bem consolidado, como podemos mostrar:

  1. Nodes verificam transações.
  2. Transações separadas são unidas em formas de blocos.
  3. Um hash e metadados são adicionados aos blocos.
  4. Mineradores verificam o hash do bloco para saber se é legítimo.
  5. O bloco é validado e adicionado à blockchain.

Esse processo garante a segurança das informações que são facilmente verificadas por qualquer pessoa que tem acesso à rede. Ela também da legitimidade às transações que acontecem dentro daquela blockchain.

Dúvidas frequentes sobre Criptomoedas

Para que serve a mineração de criptomoedas?

A mineração serve para colocar novas moedas disponíveis em circulação. Além disso, mantém segura a rede blockchain e impede que muitas moedas estejam disponíveis ao mesmo tempo, o que derrubaria o preço. Entenda mais sobre o processo de mineração das criptomoedas.

É possível minerar criptomoedas em casa?

Sim, alguns processos de mineração de criptomoedas permitem que você minere em casa. Geralmente utilizando um conjunto de placas de vídeo que aplica processamento na busca de novos hashs. Fique por dentro do universo das criptomoedas.

Minerar criptomoedas gasta muita energia?

O processo de mineração de criptomoedas gasta em torno de 130,9 terawatts-horas por ano. O que geralmente não se paga com a mineração caseira. Saiba mais sobre as criptomoedas.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe
Assuntos relacionados
De olho no mercado
O investimento em criptoativos é para todo mundo?

Uma retrospectiva pela história cripto ...

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
O que são as Comunidades de Investimentos?

Neste artigo vamos te explicar passo a passo tudo que você precisa saber sobre Comunidades...

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
Simplifique o seu jeito de investir com o Portal Inter Invest!

Já imaginou que bom seria encontrar tudo que você precisa saber sobre investimentos em um...

Leia mais