De olho no mercado

O que é IOF?

Publicado em 11/08/2021

Falar sobre tributação no Brasil é um assunto bem complexo, afinal, os impostos fazem parte do nosso dia a dia. Visto que vivemos em um dos países que mais cobram tributos do mundo, fica a dúvida: será que sabemos realmente o que estamos pagando?

Um desses impostos é o IOF.

Pra quem já está por dentro do mundo dos investimentos, provavelmente, já viu essa sigla em algum lugar. Para entender de vez o que ela significa, e por que esse imposto é cobrado, continue a leitura!

O Imposto sobre Operações Financeiras (ou IOF)

O IOF, ou Imposto sobre Operações Financeiras, é um tipo de imposto que recai sobre as operações financeiras de crédito, câmbio, seguro, investimentos e valores imobiliários. Ele foi criado em 1966, durante a reforma tributária, e veio para substituir o Imposto sobre as Transferências para o Exterior.

Sua função é regular a economia do país e observar como está a oferta e demanda de crédito, por isso, as taxas podem ser alteradas pelo governo. Durante 2020, por exemplo, a tarifa do IOF sobre as operações de crédito passou a maior parte do ano zerada e voltou a valer no início de 2021, tornando mais caro o custo do empréstimo para os brasileiros.

Por ser um imposto federal obrigatório, não tem muito como fugir do IOF e, provavelmente, você já o pagou antes. No extrato de sua conta corrente ou na fatura do cartão fica indicado em quais momentos isso aconteceu, então, é só procurar pela sigla e você vai saber o porquê da tributação.

Além disso, é importante que você saiba que cada uma das operações possui uma taxa específica, olha só:

- Cartão

Quando você faz compras internacionais usando o cartão, cada vez que usá-lo será cobrada uma taxa de 6,38% do IOF sobre o valor da compra — e isso vale para crédito ou pré-pago, viu?

Seja durante uma viagem ou mesmo comprando em sites internacionais, o IOF é cobrado em ambos os casos. Por isso, uma dica pra quem vai viajar e quer pagar menos imposto é tentar comprar a moeda do país e usar o dinheiro vivo, principalmente, naquelas compras do dia a dia que podem se tornar bem mais caras do que deveriam.

- Crédito rotativo e cheque especial

O IOF também incide sobre o crédito rotativo. Ou seja, quando ocorre algum atraso no pagamento da fatura do cartão ou somente o valor mínimo da fatura é descontado, há um parcelamento dessa dívida, que leva o nome de crédito rotativo. A taxa do IOF sobre o crédito rotativo é de 0,38%, somando ainda a taxa de 0,0082% ao dia, até que você pague toda a dívida e com taxa máxima de 3%.

O cheque especial também é um tipo de operação que você paga IOF. A taxa é a mesma do crédito rotativo (0,38% sobre o valor + 0,0082% ao dia, até quitar totalmente e com limite de 3%). Para resumir, o cheque especial é um crédito pré-aprovado que você tem disponibilizado logo quando abre sua conta (não precisa de análise complexa de crédito ou solicitação). Então, caso você precise pagar um boleto, mas o seu saldo não for suficiente, por exemplo, o banco irá complementar esse valor. Lembrando que o valor limite do cheque especial depende de cada cliente. Depois, sobre a dívida é cobrado o imposto IOF, além dos juros.

Por isso, se você quer manter sua vida financeira em ordem e não pagar mais impostos, fuja dessas situações! Fazer o planejamento dos seus gastos é uma boa forma de começar se organizar e evitar perrengues no futuro.

>>> 5 aplicativos de controle financeiro para ter no seu celular

Usar o cartão de crédito para o pagamento de contas de água, luz, telefone, boletos, entre outras, também pode não ser uma boa ideia, pois há tributação do IOF e a taxa é a mesma do crédito rotativo e do cheque especial.

- Empréstimos e financiamentos

Para os empréstimos e financiamentos a taxa de IOF é de 0,38%, mais 0,0082% por dia, até o fim do pagamento (limite de 3%). Ah, e somente os imóveis não-residenciais possuem essa tributação, tá bom? Se o imóvel é residencial, o IOF é isento.

>>> Dicionário do financiamento imobiliário

Lembrando que, diferente do cheque especial, o valor do imposto já é cobrado no momento de fechamento de contrato. Ou seja, você já sabe quando terá que pagar de IOF de acordo com o número de parcelas estabelecidas até a quitação do empréstimo ou financiamento.

- Investimentos

A taxa de IOF que incide sobre os investimentos funciona de forma um pouco diferente. Isso porque, conforme o tempo passa e o dinheiro aplicado não é movimentado, a porcentagem da alíquota vai diminuindo.

No dia 1, por exemplo, o IOF é de 96%, enquanto no dia 29, a taxa cai para 3%. Passados os 30 dias, você não será tributado pelo IOF. Vale a pena dar uma segurada na ansiedade e só movimentar o dinheiro depois desse período para ficar isento do imposto, né?

Tabela de alíquota regressiva do IOF sobre os investimentos
Tabela de alíquota regressiva do IOF sobre os investimentos

Esses são os investimentos em que o IOF é cobrado nos primeiros 30 dias:

Para outros investimentos, como Poupança, LCI, LCA ou ações, o IOF é sempre isento.

- Câmbio

A taxa de IOF para compra de moeda é de 1,1%, enquanto a venda é de 0,38%. Se for enviar ou receber remessas do exterior a taxa também é de 0,38%.

Ao compararmos as taxas de câmbio com a taxa do uso do cartão nas compras internacionais fica bem claro que a compra do papel-moeda é bem mais econômica. Por isso, de novo aquela dica básica: se for viajar no exterior prefira a compra de moeda para gastos menores e use o cartão em gastos maiores. É muito importante que você tenha mais de um meio de pagamento para garantir uma viagem segura e tranquila.

- Seguros

Tudo depende do tipo de seguro, pois a taxa de IOF pode chegar em até 25%. Mas, calma! Geralmente, elas são bem mais baixas que isso. O seguro de vida, por exemplo, tem a alíquota de 0,38% sobre o prêmio (valor pago mensalmente pelo segurado). Para saber qual a porcentagem do IOF sobre o seguro, é só consultar o plano no momento da contratação.

Quanto eu pago de IOF?

Para fazer essa conta é bem simples, faça:

Valor da operação X Taxa IOF = Valor pago de imposto

Dessa forma, você consegue controlar como o seu dinheiro está sendo gasto e tem uma ideia de quanto paga de tributação. Além disso, saber o valor cobrado de IOF pode te ajudar a fazer escolhas melhores e evitar esse imposto.

Como pagar menos IOF?

Mesmo sendo um imposto obrigatório, algumas ações evitam que você pague o IOF e te ajudam a economizar. Confira algumas dicas de como pagar menos imposto:

  • Não atrase a fatura do cartão
  • Evite usar o cartão de crédito em viagens internacionais
  • Se for viajar para o exterior, faça a compra de moeda no Brasil
  • Calcule as taxas antes de comprar em sites internacionais, talvez não seja tão vantajoso
  • Evite o cheque-especial
  • Espere 30 dias antes de resgatar o dinheiro do investimento em renda fixa

O Inter cobra IOF?

O Inter já nasceu sem tarifas. Diferente de outros bancos que cobram diversas taxas, com a sua Conta Digital você pode ter um cartão sem anuidade, fazer saques gratuitos, realizar transferências e muito mais.

Em relação ao IOF, o Inter faz a cobrança nos casos obrigatórios que citamos ali em cima. Ou seja, o imposto incide caso haja no atraso da fatura do cartão, pagamento mínimo da fatura, resgate de investimentos antes do prazo, seguros, compras internacionais, etc.

Ficou com alguma dúvida? Deixa nos comentários!

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe