De olho no mercado

O que é o Fundo Garantidor de Crédito: FGC

Publicado em 12/03/2021

A palavra garantia no mundo dos investimentos pode parecer um tanto inadequada. Afinal, quando falamos de mercado, mesmo os investimentos considerados seguros podem sofrer com a volatilidade. Por isso, se você é daqueles que quer diversificar a carteira, mas possui perfil conservador ou não gosta de correr riscos, os investimentos cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito podem ser ótimas escolhas.

O que é o FGC?

O Fundo Garantidor de Crédito, ou FGC, é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que busca trazer mais proteção e evitar grandes perdas de patrimônio do investidor caso haja uma crise financeira nas instituições bancárias. Dessa forma, se a instituição em que o capital foi aplicado pelo investidor vier a falência, ele consegue recuperar todo ou parte do que foi perdido. Apesar de uma crise de crédito sistêmica ainda não ter acontecido no Brasil, é comum o investidor conservador buscar por ativos cobertos pelo FGC na hora de montar sua carteira de investimentos para tentar garantir maior estabilidade.

O Fundo Garantidor de Crédito é formado por depósitos das instituições financeiras associadas, são elas: Caixa Econômica Federal, bancos múltiplos, bancos comerciais, bancos de investimento, bancos de desenvolvimento, sociedades de crédito, financiamento e investimento, sociedades de crédito imobiliário, companhias hipotecárias e associações de poupança e empréstimo.

O Banco Central determina que a associação ao FGC seja obrigatória às instituições financeiras que recebem depósitos à vista ou prazo em contas de poupança, realizem aceite em letras de câmbio, captem recursos mediante a emissão e a colocação de letras imobiliárias, hipotecárias, de crédito imobiliário ou de crédito do agronegócio, ou captem recursos por meio de operações compromissadas, tendo como objeto títulos de emissão de empresa ligada.

O Inter é um dos associados ao FGC, clique aqui para conferir a lista completa das instituições.

Quais investimentos ele protege?

Antes de falar quais investimentos são cobertos pelo FGC, é importante ressaltar que há um limite do valor que poderá voltar ao investidor. O teto é de R$ 250 mil e possui limite de R$ 1 milhão a cada 4 anos. Esse valor é por CPF/CNPJ e inclui todas as instituições, ou seja, independente de quanto o investidor tenha aplicado em cada uma dessas instituições, o FGC só irá retornar até R$ 250 mil do capital. Em caso de conta conjunta, o valor é dividido igualmente entre as partes, R$ 125 mil para cada.

As modalidades protegidas pelo FGC incluem vários investimentos em renda fixa: CDB (Certificado de Depósito Bancário), RDB (Recibos de Depósitos Bancários), LCI e LCA (Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio), LC (Letras de Câmbio) e LH (Letras Hipotecárias). Todos os depósitos feitos à vista ou sacáveis mediante a aviso prévio e depósitos de poupança também são cobertos pelo FGC. Assim como as operações compromissadas que têm como objeto títulos emitidos, após 8 de março de 2012, por empresa ligada.

Já os fundos de investimentos, incluindo a previdência privada (VGBL ou PGBL), não são cobertos pelo FGC. Isso porque os fundos de investimentos são constituídos coletivamente e seu patrimônio pertence a várias pessoas. Ou seja, eles funcionam como uma forma de captação de dinheiro para que depois esse valor seja investido no mercado. Os fundos de investimento possuem seu próprio regulamento e em caso de quebra da instituição, os cotistas podem optar por outra instituição, não havendo prejuízo.

Anualmente, o FGC divulga em seu site oficial o relatório anual informando qual o saldo disponível no fundo. De acordo com o censo realizado pelo Banco Central, os depósitos elegíveis à garantia totalizavam R$ 2,3 trilhões em dezembro de 2019. Para mais informações, acesse www.fgc.org.br.

Qual o seu momento como investidor?

Começar a investir pode ser um grande passo para quem nunca pensou sobre isso ou quem sempre se contentou com os baixos rendimentos da poupança. Por isso, nada melhor do que contar com uma plataforma completa de investimentos direto no seu celular.

Na Inter Invest você pode começar a investir nos ativos de renda fixa citados ali em cima, além de conhecer diversas outras possibilidades para montar sua carteira de investimentos. E o melhor, tudo isso com a praticidade e segurança que só o Inter oferece!

Ah, e além dos diversos conteúdos aqui no blog, acessando o nosso Twitter, @interinvest, ou o nosso podcast semanal no Spotify, você fica por dentro do que está rolando no mercado e tem mais embasamento na hora de tomar suas decisões como investidor.

Ficou alguma dúvida sobre o FGC ou sobre a plataforma Inter Invest? Deixa aqui nos comentários que a gente responde!

Gostou? Compartilhe

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos