Se você opera no mercado de renda variável, ou se interessa pelo assunto, deve ter ouvido falar em Retail Liquidity Provider (RLP). Mas afinal, você sabe o que isso significa? Essa funcionalidade foi autorizada recentemente no Brasil, por isso mesmo pode gerar algumas dúvidas.

De modo geral, operações RLP tem o objetivo de facilitar as atividades de investidores pessoa-física que operam nos mercados futuro e de ações. Como isso é feito, e outras informações importantes sobre RLP, nós te contamos neste artigo.

O que é RLP?

O Retail Liquidity Provider (RLP), ou provedor de liquidez ao varejo, permite que a corretora, ou banco, atue como a contraparte em algumas operações na bolsa de valores. Isso significa que ao invés de ter que esperar um outro investidor disposto a comprar ou vender determinado ativo, a operação pode ser feita diretamente com a corretora.

Apesar de comum nos Estados Unidos, essa funcionalidade passou a ser autorizada pela B3, a Bolsa de Valores brasileira, somente em agosto de 2019. Ainda assim, não são todas as corretoras que disponibilizam operações desse tipo. Lembrando que a escolha de a usar ou não é do investidor, e mais pra frente vamos explicar isso é feito.

A oferta RLP está disponível na B3 para operações do mercado futuro de minicontratos de dólar (WDO) e índice (WIN) e, desde fevereiro de 2022, para o mercado de ações.

Mercado Futuro e Minicontratos

De maneira bem resumida, os contratos futuros são operações onde vendedor e comprador, também chamados de parte e contraparte, estabelecem um acordo de que determinado ativo - em especial commodities, moedas e índices - será negociado no futuro por um preço preestabelecido. Ou seja, independentemente do que venha aconteça no mercado, o ativo vai ser comprado ou vendido no vencimento pelo valor acordado no contrato.

Os minicontratos seguem essa mesma lógica. A diferença é que eles correspondem a uma fração dos "contratos cheios". Isso facilita o acesso a essa modalidade de investimento, já que assim é possível fazer aplicações de valores menores.

As operações no mercado futuro envolvem duas partes: um investidor que deseja vender um contrato e outro que vai comprar o título. Devido a essa necessidade de ter sempre duas partes envolvidas, essas operações costumam ter menor liquidez e podem demorar para se concretizar.

Como funciona o RLP?

A lógica de funcionamento da bolsa de valores é basicamente oferta e demanda. Ou seja, para comprar ou vender determinado ativo, é necessário que tenha alguém querendo vender ou comprar esse mesmo ativo, respectivamente.

Dito isso, imagine que Paula deseja comprar 10 lotes de determinado ativo quando ele atingir 77.000. Quando isso se concretizou, a disponibilidade desse ativo na bolsa era a seguinte:

Quantidade Venda
4 77.000
6 98.175

Sem o RLP, as ordens de Paula vão ser executadas de acordo com o livro de ofertas. Portanto, ela compraria 4 lotes a 77.000 e 6 lotes a 98.175.

Agora, com o RLP ativo, ela conseguiria comprar os 4 lotes a 77.000 e os 6 lotes faltantes nesse mesmo preço. Isso porque, como explicamos, o RLP autoriza a corretora, ou banco, a entrar como contraparte na operação, vendendo para Paula os ativos faltantes no melhor preço.

No exemplo acima, o preço médio dos 10 lotes na primeira operação é de 89.705. Na opção em que o RLP está ativado, esse valor é de 77.000.

Regras do RLP

Para garantir o bom funcionamento de operações RLP, sem que isso prejudique as atividades na bolsa, a B3 estabeleceu algumas regras. Abaixo elencamos algumas:

  • O RLP só pode ser utilizado por pessoas físicas;
  • O recurso é aplicado apenas em ordens à mercado;
  • As ofertas RLP não aparecem no book de ofertas;
  • O usuário deve autorizar o serviço, e a adesão é feita junto à sua corretora;
  • Se não for executada, a oferta RLP é cancelada ao final do dia;
  • As ofertas devem oferecer os melhores preços no bid (venda imediata) e no ask (compra imediata);
  • A cada mês a B3 estabelece a porcentagem que operações com RLP podem atingir em relação ao volume total negociado.

Vale a pena usar o RLP?

Basicamente, o objetivo do Retail Liquidity Provider é aumentar a liquidez das negociações no mercado de contratos futuros e de ações, e garantir preços mais atraentes para os investidores, ao permitir que a corretora atue como contraparte em operações de compra e/ou venda.

A transparência é uma característica importante desse serviço. Todas as movimentações desse tipo devem ser divulgadas mensalmente pela corretora. Elas também são regulamentadas pela B3 e auditadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

As corretoras podem cobrar alguma taxa por operações RLP, mas a maior parte delas costuma oferecer corretagem zero. Vale lembrar que a escolha de utilizar ou não o serviço é do investidor, que tem a possibilidade de habilitar ou desabilitar a qualquer momento.

Outro ponto é identificar se ela faz sentido para a forma como você opera na bolsa. Por trazer mais agilidade para as operações, principalmente aquelas que envolvem grandes volumes de lotes, o RLP chama a atenção de quem pratica Day Trade, por exemplo.

Feitas essas considerações, saber se vale a pena usar o RLP é bem relativo. O mais importante é entender bem o serviço para ver se ele pode contribuir com as suas operações. Uma dica interessante é fazer experimentos com a ferramenta ativa e inativa, caso não haja nenhuma cobrança.

Introdução ao Day Trade e Mini Contratos

Como ativar RLP no Inter?

Quem utiliza a Inter Invest pode ativar RLP de forma simples, e com taxa zero de corretagem. Para isso, basta seguir o passo a passo:

  1. Acesse o menu de Investimentos;
  2. Clique em Configurações;
  3. Busque por Adesão RLP;
  4. Clique em Ativar.
Tutorial de como ativar o RLP no aplicativo do Inter

Dúvidas Frequentes sobre RLP

O que é RLP?

O Retail Liquidity Provider (RLP), ou provedor de liquidez no varejo, permite que a corretora, ou banco, atue como a contraparte em algumas operações na bolsa de valores. Isso significa que ao invés de ter que esperar um outro investidor disposto a comprar ou vender determinado ativo, a operação pode ser feita diretamente com a corretora.

Saiba quais são as operações em que é possível usar o RLP.

Vale a pena usar RLP?

Saber se vale a pena usar o RLP é bem relativo. O mais importante é entender bem o serviço para ver se ele pode contribuir com a maneira como você conduz suas operações na bolsa de valores. Uma dica interessante é fazer experimentos com a ferramenta ativa e inativa, caso não haja nenhuma cobrança.

Veja como esse recurso funciona na prática. 

Paga para ativar o RLP?

As corretoras podem cobrar alguma taxa por operações RLP, mas a maior parte delas costuma oferecer corretagem zero. Vale lembrar que a escolha de utilizar ou não o serviço é do investidor, que tem a possibilidade de habilitar ou desabilitar a qualquer momento.

Conheça as regras para utilizar esse funcionalidade. 

Como ativar o RLP?

A B3, Bolsa de Valores do Brasil, determina que o investidor é quem deve autorizar o serviço, e a adesão é feita junto à sua corretora. Além disso, o usuário deve ter a possibilidade de ativar ou desativar RLP quando quiser.

Entenda as vantagens desse serviço. 

https://static.bancointer.com.br/blog/author/images/9cb5e9b0f33f42aebc4eaa3feaa32f3b_20220629_103423.jpg
Helena BenficaEstagiária de Conteúdo e CRM

Estudante de Jornalismo na UFMG. Escrevo para simplificar informações que impactam seu dia a dia!

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe
Assuntos relacionados
Para simplificar a vida Inter Invest
Como e por que investir no exterior?

Preparamos um material pra você entender como funciona os investimentos internacionais....

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Bank
Como investir em dólar?

Mais simples do que se possa imaginar não é necessária nenhuma operação com dinheiro físico...

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
Simplificando a compra e venda de ações

Tiramos as principais dúvidas sobre as operações no Home Broker. ...

Leia mais