Não importa se você é um empresário abrindo seu primeiro negócio ou um empreendedor veterano que tem uma nova ideia na cabeça: você precisa construir o seu plano de negócios antes de tomar alguma decisão. 

Este documento é muito importante para ajudar você a identificar e reduzir riscos ainda no papel, estimar lucros e despesas do seu empreendimento e descobrir como maximizar a receita do seu negócio.

Para te ajudar nessa missão - que não é nada fácil, mas superimportante - criamos este guia completo com todos os tópicos que precisam estar no seu plano de negócios. Você ainda descobre quais profissionais podem te ajudar nesta etapa e como os dados levantados nesta fase serão úteis para a sua empresa nos próximos anos 😊

O que é um plano de negócios?

O plano de negócios é um documento que descreve os objetivos do empreendimento e quais passos devem ser dados para que eles sejam alcançados. Esse planejamento prévio ajuda a identificar e reduzir, ainda no papel, riscos que possam ameaçar as atividades da empresa, evitando que eles aconteçam de verdade, quando a empresa já estiver no mercado.

O plano de negócios é útil não apenas nos momentos que antecedem a abertura de uma empresa, mas também quando uma companhia que já estabelecida pretende lançar um novo produto ou fazer qualquer mudança, seja de posicionamento, segmentação ou público-alvo. Com este documento, a companhia pode planejar ações e prever a recepção da novidade por parte do público, aumentando suas chances de sucesso.

Para que serve?

Como dissemos, o plano de negócios ajuda o empreendedor a avaliar se a sua ideia é viável e a criar um planejamento com a maior parte das etapas necessárias para que o seu negócio tenha sucesso. O plano de negócios também é feito por empresas consolidadas que querem avaliar o próprio desempenho, buscar melhorias, lançar novos produtos, mudar seu posicionamento, entre outras questões.

Esta etapa é especialmente importante para as novas empresas, já que é feito um levantamento do capital disponível para investimento e dos gastos previstos para o empreendimento, ajudando o empresário a aproveitar o caixa da melhor forma possível. Empresas com planos de negócio bem-feitos têm mais chance de receber aportes financeiros de investidores.

Qual é a importância do plano de negócios?

De forma resumida, o plano de negócios ajuda o empresário a avaliar se o seu negócio é viável e lucrativo. Nesta etapa, são levantados dados que serão utilizados na abertura da empresa e durante toda a existência da empresa. O plano de negócios é uma das principais ferramentas que vão ajudar a empresa a crescer de forma responsável.

Como fazer um plano de negócios?

Assim como um trabalho de faculdade, o plano de negócios tem alguns tópicos tradicionais que sempre estarão presentes, como análise de mercado, plano de marketing, avaliação estratégica e, principalmente, plano financeiro. 

É recomendado que a construção desse planejamento seja feita com o auxílio de um contador, para analisar a viabilidade financeira do negócio, e também de um especialista empresarial, como um consultor de negócios. 

Esses investimentos iniciais podem ajudar - e muito - a reduzir prejuízos maiores após o lançamento do empreendimento. Não tenha vergonha de procurar exemplos de planos de negócios na internet. Os principais tópicos que compõem um plano de negócios são:

Sumário executivo

A primeira parte do documento reúne as informações mais importantes do seu empreendimento de forma resumida. Nesta etapa, você vai descrever a futura (ou atual) empresa, a sede, seus principais produtos, o público-alvo, o capital investido, a previsão de faturamento e a expectativa de lucro. Apesar de abrir o plano de negócios, o sumário executivo deve ser produzido com o documento finalizado. O tópico deve possuir informações como:

  • Dados e missão do empreendimento;
  • Setores de atuação;
  • Forma jurídica e enquadramento tributário;
  • Capital social e fonte de recursos;
  • Dados dos sócios, experiência de cada um deles e suas responsabilidades.

Análise de mercado

Uma das etapas mais importantes do planejamento empresarial é a análise de mercado, momento em que você irá descobrir se existem clientes interessados no produto ou serviço em questão e conhecer as características deste público-alvo, traçando um "perfil padrão" de pessoa para quem deseja vender. A análise de mercado deve trazer informações como:

  • Características gerais dos clientes: faixa etária, sexo, família, trabalho, remuneração, nível de formação, localidade, área de atuação (se for pessoa jurídica), tempo no mercado (se for pessoa jurídica), filiais (se for pessoa jurídica), entre outras.
  • Interesses e comportamentos: frequência e volume em que compram o produto ou serviço em questão, local onde compram, preço médio pago, entre outros.
  • Motivações para o cliente comprar: valor, necessidade, qualidade, valor de marca, tempo e valor do frete, condições de pagamento, atendimento, entre outras.
  • Localização dos clientes: se estão no seu bairro, na sua cidade, no seu estado ou em outros estados, no seu país ou no exterior, se os seus produtos ou serviços são adquiridos de forma simples e fácil, entre outras.

Nas últimas décadas, o conceito de público-alvo tem sido trocado por persona. O primeiro usa dados gerais e definições amplas, criando uma imagem genérica do futuro cliente. Por outro lado, o segundo traz informações mais específicas e detalhadas desses clientes em potencial, ajudando na criação de um produto mais interessante para eles e na elaboração de um plano de marketing mais assertivo. Por ser mais profunda, a elaboração da persona é mais trabalhosa e pode custar mais do que a definição do público-alvo, então tenha isso em mente.

Além do estudo dos clientes, a análise de mercado também deve trazer os levantamentos dos seus concorrentes, reunindo o preço cobrado por eles, as condições de pagamento e, assim, descobrir quais diferenciais você pode oferecer. O estudo dos fornecedores também é essencial para você saber onde encontrar a matéria-prima utilizada pela sua empresa, o prazo de entrega e possíveis atrasos na logística.

>> Saiba como fazer uma gestão empresarial eficiente.

Plano de marketing

Nesta etapa, você precisa descrever todos os produtos que serão fabricados ou oferecidos pela sua empresa, incluindo detalhes como tamanho, modelo, cor, sabor, apresentação, marca e rótulo. Fotos e ilustrações destes itens podem ser anexadas. No caso das prestadoras de serviços, é necessário detalhar as atividades, características e garantias oferecidas.

O plano de marketing também deve trazer o preço do produto ou serviço, levando em conta o que o cliente está disposto a pagar, os custos de produção e, é claro, o lucro desejado. A localização da empresa e a estrutura de comercialização (físico, online, vendedores externos, etc.) também devem ser apresentadas. E, como o próprio nome já adianta, o plano de marketing precisa trazer o planejamento para promover o produto ou serviço.

Plano operacional

Nesta seção, você vai detalhar como o seu negócio funciona, apresentando o fluxo de produção e venda do produto ou prestação de serviço. No caso de lojas físicas ou fábricas, o empreendedor precisa ter em mente (e no papel) o arranjo físico do espaço escolhido, levando em conta a maior produtividade possível e o menor desperdício na linha de produção. Ao elaborar o plano operacional é preciso levar em consideração:

  • O tempo levado para a produção e venda do produto ou realização do serviço;
  • O número de colaboradores e a qualificação necessária;
  • Equipamentos e materiais necessários;
  • Capacidade real de armazenamento e distribuição;
  • Prazos e disponibilidade dos fornecedores.

Plano financeiro

Possivelmente a etapa mais importante do plano de negócios, já que, sem dinheiro, fica muito difícil da sua ideia sair do papel. Neste tópico, o empresário vai detalhar todos os investimentos necessários para o seu negócio começar a operar e, assim, gerar receita. Como a empresa ainda não existe, você vai informar estimativas de preços e custos, ou seja, os números podem ser um pouco diferentes quando a empresa for aberta. As principais informações presentes no plano financeiro são:

  • Investimentos fixos: bens que precisam ser adquiridos para a operação correta da empresa (máquinas, ferramentas, veículos, móveis, entre outros);
  • Capital de giro: montante necessário para o funcionamento mensal da empresa (compra de insumos, pagamento de despesas e funcionários, financiamento de vendas, compra do estoque inicial, caixa mínimo, entre outros);
  • Investimentos pré-operacionais: gastos que devem ser feitos antes mesmo da empresa abrir as portas (reforma do espaço físico, taxas para abertura da empresa, impostos, despesas com contabilidade e consultoria, entre outros).

Além dos gastos, o empresário deve estimar o faturamento da empresa com a comercialização de seus produtos e serviços. Por fim, o tópico deve apresentar o investimento total, ou seja, a soma da estimativa dos investimentos fixos, o capital de giro e a estimativa de investimentos pré-operacionais. Na sequência, avalie a origem desse valor: se ele virá de recursos próprios, de investimentos externos ou de empréstimos.

>> Saiba como controlar suas despesas administrativas.

Construção de cenários

A construção do plano de negócios está quase chegando ao fim. Nesta etapa, você precisa simular situações que podem ser enfrentadas por seu empreendimento e quais seriam as melhores respostas para estes casos. Além dos cenários pessimista, provável e otimista, que são os mais tradicionais, você também pode pensar em situações atípicas, como a chegada de novos concorrentes, uma crise econômica ou até mesmo uma pandemia. Após levantar as despesas, faturamento e lucro previsto em cada um dos cenários, pense em ações corretivas e preventivas para evitar problemas e manter sua empresa nos trilhos.

Avaliação estratégica

Aqui, serão avaliados os ambientes internos e externos do negócio para a criação de estratégias que melhorem o desempenho da futura empresa em seu mercado. Essa análise é feita com base em uma metodologia chamada SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats), traduzida carinhosamente de FOFA (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças). Nesse momento, as ações da empresa são direcionadas para que os objetivos sejam alcançados. Nesta etapa, podem ser identificados e corrigidos possíveis problemas e erros no planejamento.

Avaliação do plano de negócios

Pronto, agora o seu plano de negócios está pronto. Assim como em um trabalho de faculdade, este é o momento em que você revisa todas as informações e descobre se elas estão corretas. O empresário, junto com contador, consultor, sócio e investidor, vai avaliar se o empreendimento é viável e realmente deve ser aberto, mantido ou expandido. Resumindo: com todas as informações e dados em mãos, você e sua equipe poderão tomar decisões com propriedade.

O Inter te ajuda a abrir sua empresa!

Como você percebeu, o plano de negócios é uma etapa indispensável para o empresário que pretende abrir um negócio ou lançar um novo produto ou serviço no mercado. Se você é um "empreendedor de primeira viagem" e quer saber mais sobre o assunto, não deixe de visitar nosso guia completo de como abrir uma empresa em 2022.

https://static.bancointer.com.br/blog/author/images/90c85bf8c8a64701aee08a4033b265e5_microsoftteams-image-92.png
Célio Ribeiro Assistente de Conteúdo

Jornalista pela UFMG. Mineiro, apaixonado por música e por histórias.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe
Assuntos relacionados
Para o empreendedor
Gestão financeira: o que é e principais dicas

Gestão financeira é um conjunto de procedimentos que devem ser aplicados em uma empresa para...

Leia mais
Para o empreendedor
Como controlar as despesas administrativas?

As despesas administrativas são os gastos relacionados ao administrativo da empresa....

Leia mais
Para o empreendedor
Fluxo de caixa: o que é e como fazer

O fluxo de caixa é uma ferramenta de auxílio ao controle financeiro de uma empresa...

Leia mais
Para o empreendedor
Entenda o que é Lucro Presumido e como funciona essa tributação

O Lucro Presumido é uma forma de tributação simplificada para empresas no Brasil....

Leia mais
Para o empreendedor
Lucro Real: como funciona?

Entenda como funciona o Lucro Real um regime de tributação que as grandes empresas brasileiras...

Leia mais