Com o aumento da Taxa Selic muitos investimentos são favorecidos, principalmente os de renda fixa, o que atrai novos investidores para o mercado financeiro.

E se você é uma dessas pessoas que está pensando em começar a investir, mas acredita que precisa de grandes investimentos iniciais para ter uma boa rentabilidade a gente já te adianta: no Inter você pode começar a investir a partir de R$100!

Existem muitos tipos de investimentos no mercado, e hoje vamos te contar um pouquinho sobre eles e o mais procurado por quem está começando a investir: a renda fixa. Vamos lá?

O que é Renda Fixa?

Os investimentos de renda fixa são considerados mais previsíveis pois sua remuneração será calculada no momento do aporte. Isso acontece porque esses tipos de produtos têm datas de vencimento preestabelecidas e um indexador de rentabilidade, que pode ser uma taxa de juros específica, a Taxa Selic ou o IPCA.

As possibilidades de rentabilidade dos investimentos em renda fixa podem ser de 3 tipos: Pré-Fixados, Pós-Fixados e Híbridos.

Os investimentos Pré-Fixados são aqueles em que você já tem conhecimento sobre a rentabilidade no momento da contratação e costumam ser mais vantajosos em cenários com juros em queda.

Já no caso dos Pós-Fixados, os investimentos estão ligados a algum outro índice da economia. Nesse caso, o investidor saberá qual será esse índice, como por exemplo a taxa Selic e o CDI, mas não saberá quanto vai receber no final da aplicação, já que a rentabilidade é determinada através de um percentual sobre o índice escolhido, e pode variar com o tempo.

O investimento Híbrido já é uma união de um investimento Pré-Fixado com o Pós-Fixado, ou seja, uma parte da rentabilidade é estabelecida no momento da aplicação e a outra parte é atrelada a um índice econômico, como o IPCA.

👉 Quer saber mais sobre a diferença entre Pós-Fixado, Pré-Fixado e Híbrido? Aperte o play ⬇️

Renda Fixa Pós-Fixada, Pré-Fixada e Híbrida

Rendimento Renda Fixa

A renda fixa é ideal para os investidores que procuram segurança e rendimentos mais estáveis. Por proporcionar um risco menor, a sua rentabilidade também será menor.

Para entender a rentabilidade de investimentos conservadores como os de renda fixa, é muito importante entender sobre o CDI (Crédito de Depósito Interbancário). O CDI é a taxa que serve de referência para captação e empréstimo entre os bancos e é usada como referência nos investimentos.

Para calcular a rentabilidade do seu investimento de renda fixa atrelado ao CDI, você precisa saber que o CDI geralmente vai estar 0,1% abaixo do valor da taxa Selic, variando de acordo com ela, assim como a rentabilidade do seu investimento.

Diferente dos investimentos de renda fixa ligados ao CDI, nos Pré-Fixados os rendimentos já são pré-estabelecidos e fixos. São interessantes pela previsibilidade de saber exatamente quanto vai ganhar ao final da aplicação.

Já os investimentos de renda fixa atrelados ao IPCA vão render conforme a inflação. Além disso eles ainda pagam o chamado "Juro Real", um ganho acima da inflação anual. O grande ponto positivo deste investimento é que você mantém o seu poder de compra e ainda vai ter um ganho extra.

👉 Quer saber tudo sobre rendimentos em Renda Fixa? Conheça a Inter Invest, a plataforma de investimentos do Inter.

Renda Fixa: como funciona o seu rendimento

👉 Quer ficar por dentro da Selic e do CDI? Temos o vídeo perfeito para você:

O que é Selic e CDI?

Renda Fixa e Renda Variável – Quais as diferenças?

Se nos investimentos de renda fixa a forma de remuneração é conhecida desde o momento da aplicação, nos investimentos de renda variável o investidor não consegue saber previamente qual será a rentabilidade da sua aplicação.

No mercado financeiro, o retorno de um investimento costuma ser proporcional ao seu risco. Ou seja, investimentos mais arriscados tendem a ter prêmios maiores.

Investir em ações na bolsa, por exemplo, é um tipo de investimento de renda variável. Esses ativos representam uma classe de investimento com possibilidades de gerar bons retornos, mas isso também vem acompanhado de um risco maior.

Já a renda fixa oferece rendimentos constantes e estáveis, o que dá mais tranquilidade ao investidor, principalmente quando se pensa a longo prazo.

👉 Para saber mais sobre a diferença entre Renda Fixa e Renda Variável? Acesse o link abaixo:

Renda Fixa e Renda Variável

Tributação de Investimentos em Renda Fixa

A grande maioria dos investimentos de renda fixa sofrem a incidência do Imposto de Renda e seguem uma Tabela Regressiva. Isso significa que quanto maior o prazo de resgate, menor vai ser o imposto.

Alguns investimentos de renda fixa são isentos de Imposto de Renda, como é o caso da poupança e das Letras de Crédito Imobiliário e Agrícola (LCI e LCA).

Caso o investimento seja em CDB (Certificado de Depósito Bancário), RDB (Recibo de Depósito Bancário), LC (Letra de Câmbio), LF (Letra Financeira), Debêntures comuns e Tesouro Direto (Títulos Públicos Federais), a incidência do Imposto de Renda será de:

  • Até 180 dias de investimento, 22,5%;
  • De 181 a 360 dias de investimento, 20%;
  • De 361 a 720 dias de investimento, 17,5%;
  • Acima de 720 dias, 15%.

É importante ressaltar que a alíquota será cobrada sobre a rentabilidade do período, e não sobre o total do volume aplicado.

Já o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) incide sobre aplicações em que o resgate ocorre antes de 30 dias de investimento. Com isso, se o resgate acontecer entre o 1º e o 29 º dia de investimento, o investidor terá que arcar com os custos do IOF, além do Imposto de Renda. A partir do 30º dia o IOF não será mais cobrado sobre o investimento realizado.

Tipos de Investimento em Renda Fixa

Quando você investe em renda fixa, você está emprestando dinheiro ao emissor do papel, que pode ser um banco, uma empresa ou mesmo o Governo, e em troca, recebe uma remuneração por um determinado prazo, na forma de juros e/ou correção monetária.

Existem diversos tipos de investimentos em renda fixa, que vão variar, principalmente, para qual órgão você emprestará o seu dinheiro.

Quer saber mais sobre eles? Vamos lá!

Tesouro Direto - Títulos Públicos

O Tesouro Direto é a plataforma do Tesouro Nacional para compra de títulos públicos. Quando você compra um título do Tesouro Direto está emprestando dinheiro ao Governo em troca de uma remuneração.

Eles podem ser Pré-Fixados, quando já se sabe o rendimento no momento da aplicação, ou Pós-Fixados, que neste caso estará atrelada a algum índice, como a Selic ou o IPCA, variando a rentabilidade de acordo com eles.

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais populares. Isso porque ele realiza a negociação de Títulos Públicos, que são os títulos mais seguros do mercado. Os Títulos Públicos são uma forma do Governo captar dinheiro para a sua gestão, como por exemplo, para as áreas da saúde, educação e infraestrutura. Em função disso, são vistos como de baixo risco.

👉 No Inter você pode investir a partir de R$30 no Tesouro Direto. Quer saber como? Clique aqui:

Tesouro Direto: como funciona?

Poupança

A poupança é o investimento de renda fixa mais tradicional do Brasil. Nessa modalidade, as regras de funcionamento e de rentabilidade seguem diretrizes estabelecidas pelo Governo.

Ela, geralmente, não possui taxas e é isenta do Imposto de Renda. Já a sua rentabilidade varia de acordo com a Taxa Selic.

Além de possuir baixa rentabilidade, outro ponto negativo da poupança é o fato de que a rentabilidade só é creditada para os investidores uma vez por mês, no mesmo dia em que a aplicação foi realizada.

A poupança é assegurada pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que devolve até R$ 250 mil por investidor em casos de insolvência da instituição financeira.

👉 Pensando em investir na Poupança? Conheça suas principais vantagens e desvantagens neste vídeo:

Poupança: Vantagens e desvantagens I Inter Invest

CDB – Certificados de Depósito Bancário

Se você está começando a investir, um dos investimentos mais simples e populares do mercado é o CDB, o Certificado de Depósito Bancário. Este é um investimento que, além de ser tão seguro quanto a poupança, tem uma rentabilidade maior. Mas o que é o CDB? Quais são as vantagens da aplicação?

A sigla CDB vem de Certificado de Depósito Bancário, que é um título de renda fixa emitido por bancos para captar dinheiro e financiar suas atividades. Em troca deste empréstimo de recursos, o banco irá devolver ao investidor a quantia aplicada mais os juros acordados no momento do investimento.

Os CDBs mais comuns são Pós-Fixados e oferecem como remuneração um percentual de algum índice de referência de renda fixa, normalmente a taxa do CDI.

Em alguns bancos, essa rentabilidade pode ser tão baixa quanto a da poupança. Já em outros, pode ser até mais do que 100% do CDI. É o que acontece aqui no Inter, onde o investimento em CDB pode render até 102% do CDI e ainda gerar mais limite de crédito pro seu cartão com o CDB Mais Limite de Crédito.

Assim como a poupança, os CDBs contam com a cobertura do FGC. Por outro lado, seus rendimentos são tributados pelo Imposto de Renda, seguindo a tabela regressiva (de 22,5% a 15%).

👉 Quer saber como investir no CDB no Inter e ainda garantir limite de crédito no seu cartão? É só clicar aqui:

CDB Mais Limite de Crédito

Debêntures

Assim como os bancos usam o CDB para captar recursos, as Debêntures funcionam de forma parecida, mas nesse caso quem capta o dinheiro são empresas de fora dos setores financeiros.

Isso significa que quem investe em Debêntures está comprando um pedaço da dívida de uma empresa em troca dos juros sobre o capital emprestado. Com isso, apesar de serem de renda fixa, elas são emitidas por empresas o que pode significar um risco maior para o investidor dependendo da emissora.

Para investir em Debêntures é necessário é ter uma conta em uma corretora ou plataforma credenciada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), como é o caso da Inter Invest.

As Debêntures podem oferecer maior rentabilidade quando comparadas a outras opções de renda fixa, mas também apresentam riscos, como risco de crédito. Ao investir em Debêntures você se torna um credor, e pode não receber o pagamento caso a empresa declare a falência, já que as Debêntures não são assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito.

LCI e LCA

As Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI) são títulos de dívida em que o investidor empresta dinheiro ao mercado do agronegócio ou imobiliário. Esses títulos podem ser Pré-Fixados, Pós-Fixados ou híbridos. São emitidos por bancos e não há incidência do Imposto de Renda para pessoas físicas. Ao investir tanto em LCI, quanto em LCA, você empresta dinheiro para a instituição financeira e em troca irá receber os juros referentes ao tempo da aplicação.

Eles são investimentos muito recomendados para quem está começando a investir por possuírem vantagens como rentabilidade atrativa. Por serem investimentos de renda fixa e segurados pelo FGC, eles oferecem menor risco e se tornaram mais acessíveis.

CRI e CRA

Quando uma empresa quer captar recursos para suas operações uma das alternativas é emitir títulos de dívida como os CRIs e CRAs.

Os CRAs são investimentos de médio e longo prazo, com títulos que variam de 1 até 15 anos. Assim, são recomendados para pessoas que já têm uma reserva de emergência e podem manter a aplicação por mais tempo.

Os rendimentos dos CRAs são isentos de IOF e Imposto de Renda para pessoas físicas. No entanto, os CRAs não contam com a proteção do Fundo Garantidos de Créditos (FGC).

Já os CRIs são investimentos lastreado por operações do setor imobiliário, sendo uma ótima alternativa para quem quer investir nesse mercado sem comprar o imóvel. Assim como os CRAs,  os CRIs contam com isenção de Imposto de Renda e IOF para pessoas físicas e possuem uma rentabilidade atrativa comparada a outros investimentos de renda fixa.

Ao investir em um CRI, o investidor está comprando uma parte da dívida de uma construtora, por exemplo, em troca de uma remuneração em juros.

Fundos de Renda Fixa

Os Fundos de Renda Fixa são aplicações simples, cuja principal característica é o tipo de investimento que eles realizam e, com isso, qual será o fator de risco.

São consideradas Fundos de Renda Fixa as carteiras que tenham pelo menos 80% do patrimônio aplicado em ativos vinculados à variação da taxa de juros, de índices de preço, ou em ambos.

Os Fundos de Renda Fixa são considerados aplicações mais conservadoras do que as carteiras de ações, por exemplo. Isso porque as aplicações realizadas por eles têm regras de remuneração conhecidas no momento inicial do investimento. Como possuem um risco mais baixo que outras carteiras, o seu rendimento tende a ser menor.

👉 Para saber mais sobre Fundos de Investimentos, é só assistir o vídeo abaixo:

Tipos de Fundos de Investimento

Melhores Investimentos em Renda Fixa 2022

Analisando o cenário econômico de 2022 pode-se perceber que os investimentos em renda fixa obtiveram bons retornos.

Com a inflação e a taxa de juros em alta, os títulos de Renda Fixa ficam em evidência para muitos investidores em 2022. Por isso, separamos algumas dicas de onde investir este ano:

  • CDB (Certificado de Depósito Bancário)

O investimento acompanha a variação dos juros e ainda conta com garantia do FGC, permitindo ao investidor aproveitar a alta da Selic com segurança, oferecendo liquidez e rentabilidade. Já viu o CDB Mais Limite de Crédito do Inter? Aqui você investe, seu dinheiro rende mais e ainda ganha limite de crédito no cartão.

  • Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma das opções mais seguras, por ser emitido pelo Governo Federal. Quanto maior for o tempo investido, menor será a incidência do Imposto de Renda (IR) e maior será a rentabilidade.

  • LCI e LCA

São títulos emitidos por bancos, possuem isenção do Imposto de Renda para pessoas físicas e são protegidos pelo FGC. Além disso, oferecem prazos relativamente curtos e se beneficiam caso a inflação permaneça elevada.

Como investir em Renda Fixa?

Para investir em renda fixa você precisa, antes de tudo, entender sobre as suas modalidades e qual investimento seria ideal para o seu perfil e os seus objetivos.

No Inter todo mundo pode investir nos produtos renda fixa: quem precisa de liquidez ou quem quer deixar o dinheiro aplicado por mais tempo.

Para isso, temos uma página todinha voltada para investimentos em Renda Fixa, onde você pode consultar cada um deles, e começar a investir direto pelo celular, de forma simples e segura.

Por que investir em Renda Fixa no Inter?

A renda fixa é um tipo de investimento com maior previsibilidade e ideal para quem está começando a investir. Seus investimentos são de baixo risco e as oportunidades do mercado estão muito favoráveis, principalmente com a alta da inflação e a alta da Taxa Selic.

Outra grande vantagem é que muitos dos investimentos em renda fixa são isentos de Imposto de Renda para pessoas físicas e possuem proteção do FGC, o que fornece ainda mais segurança para seus investimentos.

Como o Inter simplifica TUDO, aqui você pode investir de forma fácil, digital e segura com a nossa plataforma de investimentos completa: a Inter Invest.

Nessa plataforma você encontra diversas opções de investimentos em Renda Fixa, como o CDB Mais Limite que rende até 102% do CDI,  Debêntures, CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários), Tesouro Direto e muito mais!

👉 Aqui tem tudo que você precisa saber para investir em 2022. Bora conferir?

Como se planejar para investir bem em 2022

Vantagens e Desvantagens da Renda Fixa

Já entendemos que a renda fixa é um dos investimentos preferidos dos brasileiros. Mas como todo tipo de investimento, ela apresenta vantagens e desvantagens. Quer saber quais seriam? Vamos lá:

Entre as vantagens da renda fixa está a maior previsibilidade quanto ao comportamento dos papéis e os ganhos que podem ser obtidos. Embora não sejam livres de riscos, essas aplicações oferecem ao investidor um horizonte mais claro sobre o que esperar.

Outra vantagem é a variedade de produtos disponíveis, cada um com uma característica específica, e de emissores possíveis. Assim, é possível diversificar a carteira, sem concentrar demais os investimentos em poucas opções.

Já em relação às desvantagens, a principal é que há menos chances de se obter um retorno elevado rapidamente, como é comum acontecer no mercado de renda variável, por exemplo. A rentabilidade deste tipo de investimento tende a ser menor, isso porque o seu risco também é menor.

Outra desvantagem seria que nem todos os investimentos de renda fixa estão protegidos pelo FGC e muitos deles não são isentos de impostos, como o Imposto de Renda.

Agora que você sabe o que é renda fixa e seus tipos de investimentos já está preparado para selecionar os títulos que melhor atendem seus objetivos e começar a fazer o seu dinheiro render mais.

Apesar de ter uma rentabilidade menor que de outros tipos de investimento, a renda fixa proporciona maior segurança e está em grande vantagem atualmente com a alta da inflação e, consequentemente, a alta da Taxa Selic, sendo o momento ideal para dar os primeiros passos no mundo dos investimentos.

E que tal fazer isso com toda segurança, autonomia e praticidade que a Inter Invest oferece? Com ela você tem acesso a títulos de renda fixa e vários outros produtos de investimentos para aplicar seu dinheiro com autonomia e sem taxas escondidas.

Gostou das nossas dicas? Baixe o Super App e comece a investir agora, com poucos cliques e sem burocracia.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe
Assuntos relacionados
Para simplificar a vida Inter Invest
3 motivos para investir em Renda Fixa

Conheça opções de Renda Fixa para quem busca mais rentabilidade sem abrir mão da segurança....

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
Simplifique o seu jeito de investir com o Portal Inter Invest!

Já imaginou que bom seria encontrar tudo que você precisa saber sobre investimentos em um...

Leia mais
De olho no mercado
Taxa Selic: O que é e como influencia na economia e nos seus investimentos

Entenda mais a Selic: taxa de juros básica do Brasil....

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
Onde investir com a queda da Selic?

Devo partir para a Bolsa? Onde investir com a queda da Selic? Neste post ...

Leia mais
De olho no mercado
Alta na Selic: quais investimentos valem a pena?

O assunto ainda é a Alta da Selic. Veja dicas dos nossos especialistas. ...

Leia mais
Para simplificar a vida Inter Invest
Como e por que investir no exterior?

Preparamos um material pra você entender como funciona os investimentos internacionais....

Leia mais
Cuidando do seu dinheiro
LCI ou CDB?

Saiba como comparar....

Leia mais