Você provavelmente já deve ter ouvido algo sobre a alta ou baixa de uma moeda estrangeira. Pode ser dólar, euro, libra ou qualquer outra além do real brasileiro, se a moeda é diferente da nossa, fala-se também em taxa de câmbio.

Mas você sabe o que é a taxa de câmbio?

Essa taxa calcula o preço da moeda estrangeira em unidades da moeda nacional. Ou seja, é o valor de uma determinada moeda em relação a outra.

Esta prática influencia no valor do nosso dinheiro para viagens, compras internacionais e demais operações financeiras. Entenda mais nesta matéria 😊

O que são as taxas cambiais de compra e venda?

Existem dois tipos de operações cambiais: a de compra e de venda. O que as difere é a posição da instituição financeira no momento da transação.

Vejamos os exemplos abaixo:

1) Você, como pessoa física, precisa comprar uma moeda estrangeira em uma instituição autorizada. A instituição estará vendendo a moeda a você, logo, a taxa trabalhada nesta operação será de venda.

2) Já no caso de você, também como pessoa física, possuir alguma quantia de moeda estrangeira e desejar vendê-la, a instituição estará comprando este valor na sua mão, portanto a operação é de compra.

De maneira geral, a taxa de câmbio para venda é mais alta pois envolver os custos do serviço.

E a PTAX, o que é?

A PTAX é calculada pelo Banco Central e é utilizada como referência, pois trata-se de uma média das operações que acontecem durante todo o dia.

Esta é uma cotação diferente das citadas no exemplo acima, pois não se trata de uma taxa obrigatória.

Definindo o valor da moeda estrangeira

Fatores como inflação, taxa de juros, situação política e econômica interferem no câmbio de uma moeda, mas a lei da oferta e demanda acaba sobressaindo.

Neste sentido, o dólar é considerado uma moeda forte e valorizada. Não é à toa que é considerada a moeda universal e é utilizada como base para transações de de diversos países.

O câmbio pode ser calculado das seguintes formas:

Câmbio Fixo

Neste regime, o "Banco Central" de cada país avalia e determina o valor fixo das moedas estrangeiras com relação ao valor da moeda local.

Ou seja, a taxa de câmbio é garantida pelo governo conforme o determinado com o objetivo de estabilizar o valor das moedas.

Câmbio flutuante

Neste caso, o valor da moeda varia conforme as ações de compra e venda.

No câmbio flutuante o valor do dólar determina o valor do real e quanto mais a moeda americana for procurada, mais ela se valorizará perante a moeda nacional, sem que haja a interferência frequente do governo.

Câmbio deslizante

No câmbio deslizante há a operação do fixo + flutuante.

Funciona assim: para manter a moeda brasileira dentro do valor estipulado, o Banco Central realiza intervenções diárias no mercado.

Neste modelo, o próprio Banco Central compra e vende a moeda estrangeira para garantir o valor da variação conforme a determinação do governo.

Diferença entre o Dólar Comercial e o Dólar de turismo

É possível que haja uma diferença cambial do dólar em um mesmo período. Isso porque existem duas cotações: dólar comercial e dólar turismo. E a gente te explica porque:

  • Comercial

O dólar comercial é exclusivo para negociações feitas por empresas ou instituições financeiras. Como, neste caso, o volume de transações costuma ser alto - já que é realizado por corporações - o valor da moeda acaba ficando mais barato.

  • Turismo

Já nesta opção, a compra é feita por pessoas físicas, em sua maioria, quando estão prestes a viajar. Este formato costuma sair mais caro, visto que a quantia de dinheiro a ser trocada é menor.

Basicamente o dólar comercial está ligado a instituições e o turismo a pessoas físicas. O nome é turismo, mas não há a necessidade da viagem em si, só pelo fato de ser uma pessoa - e não uma empresa - realizando a compra, já se considera a cotação do dólar turismo, ok?

Quando você for realizar a compra de qualquer moeda de fora em uma casa de câmbio, verifique o Valor Efetivo Total – VET. Ele já considera os custos extras fora a taxa.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe