Para simplificar a vida Inter Invest

Tipos de Fundos Imobiliários para investir

Publicado em 18/06/2021

Quando falamos sobre o mercado imobiliário no Brasil muita gente rapidamente associa à venda ou aluguel de casas e apartamentos. Mas, através de Fundos Imobiliários (FIIs), é possível investir em empreendimentos que vão além da moradia, como shoppings, galpões logísticos e hospitais.

Continue a leitura e conheça os principais tipos de Fundos Imobiliários disponíveis no mercado.

O que são os FIIs?

Os Fundos Imobiliários (FIIs) reúnem grupos de investidores que desejam investir em oportunidades do setor imobiliário.

Os recursos reunidos por esse grupo são usados para financiar empreendimentos variados como condomínios, shoppings, hospitais, hotéis, escritórios,  entre outros, e o lucro proveniente do aluguel, venda ou arrendamento desses imóveis é dividido proporcionalmente, de acordo com a quantidade de cotas que cada investidor tem daquele fundo em sua carteira.

Os fundos são geridos por gestoras especializadas e, por isso, é comum vermos uma analogia comparando os FIIs à condomínios de investidores, onde uma pessoa ou empresa responde pelo uso dos recursos reunidos coletivamente.

>> Saiba mais sobre os Fundos Imobiliários: o que são e como investir 

Tipos de FIIs

Existem vários tipos de Fundos Imobiliários sendo negociados na Bolsa de Valores, mas aqui vamos focar nos: Fundos de Papel (também conhecido como Fundos de Recebíveis Imobiliários), Fundos de Tijolo, Fundos de Fundos (FoFs) e Fundos de Desenvolvimento.

Fundos de Papel

Começamos pelos Fundos de Papel que são considerados por algumas pessoas do mercado como o tipo mais conservador.

Esses Fundos investem em ativos de Renda Fixa lastreados em dívidas do setor Imobiliário como os CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), Letras de Crédito (LC) e Letras Hipotecárias.

Só que ao invés de adquirir um pedaço da dívida de uma única empresa, você está investindo em vários papéis, simultaneamente, o que garante mais diversificação para sua carteira e, consequentemente, mais segurança.

Apenas atenção para não confundir: apesar de investir em papéis de renda fixa, as cotas dos Fundos de Papel são comercializadas na Bolsa de Valores.

Fundos de Tijolo

Os Fundos de Tijolo investem em imóveis já prontos e constituem a maioria dos FIIs disponíveis no mercado.

Esses imóveis são majoritariamente comerciais como supermercados, shoppings, galpões logísticos, galpões industriais ou agências de bancos, e, portanto, o lucro principal provém do aluguel pago para o uso desses espaços.

Fundos de Fundos

Nos Fundos de Fundos (FoFs), como o nome já diz, os recursos dos cotistas são usados para investir em cotas de outros Fundos, gerando mais diversificação para quem investe neles.

Eles são interessantes por oferecerem uma gestão profissional e o acesso a Fundos restritos a investidores qualificados, por um valor menor do que se você investir nesses Fundos por conta própria.

>>> O que é um Fundo de Fundos?

Fundos de Desenvolvimento

Ao contrário dos Fundos de Tijolo, os Fundos de Desenvolvimento concentram-se na compra de terrenos para a construção de empreendimentos, para alugá-los ou vende-los mais tarde.

Por causa das constantes oscilações no mercado de construção civil e burocracia envolvida na licitação de obras, são considerados investimentos com maior risco associado. Em contrapartida, oferecem rendimentos mais elevados.

Vantagens de investir em FIIs

Investir em Fundos Imobiliários oferece várias vantagens em relação à compra de imóveis, que seria a alternativa mais comum para quem investe no setor.

Para começar, eles são mais acessíveis.

No Brasil, poucas pessoas conseguem juntar os recursos necessários para comprar um imóvel à vista ou mesmo os 20% do valor do imóvel para dar de entrada em um processo de financiamento, enquanto com os FIIs você consegue aplicar em empreendimentos imobiliários diversos pagando valores a partir de R$10,00.

Sem contar que o investidor não precisa passar por um processo longo e burocrático, nem apresentar vários documentos para adquirir uma cota de um Fundo Imobiliário.

Esses investimentos também tem seus ganhos isentos de Imposto de Renda. Exceto, quando você vende uma cota, nesse caso, você deverá pagar 20% de imposto sobre o lucro.

Outro ponto a favor, é que os Fundos Imobiliários oferecem mais liquidez para o investidor (lembra que falamos sobre esse assunto aqui no blog?). Ou seja, se você precisar resgatar o valor investido o processo é bem mais rápido do que vender um imóvel, uma vez que as cotas são negociadas em Bolsa.

Por onde começar?

No final de maio, fizemos a nossa primeira Maratona de Fundos Imobiliários no YouTube. Foram 4 lives diferentes, ao longo de todo o dia, com a participação de especialistas da Exame Research, Kinea, Navi, Alianza e Hedge Investimentos, além da equipe do Inter.

Os vídeos ainda estão disponíveis no canal e você pode assistí-los clicando aqui. 

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos completos sobre investimentos, educação financeira e novos produtos

Gostou? Compartilhe